Entrevista e Texto por André Rossanez

O Portal Me Gusta teve a honra de conversar em São Paulo com Manaia, uma cantora de voz linda e única e com uma personalidade forte e ao mesmo tempo encantadora.

Foi recebido por ela com muita atenção e carinho de braços abertos, com muita energia boa. Inclusive, descobrimos um gosto em comum quando peguei o meu caderno. Falo do série japonesa Cavaleiros do Zodíaco, capa de meu caderno. claro que antes de começar a entrevista falando sobre esta paixão em comum.

Mas podem ficar tranquilos que aqui vamos falar de música e não de anime (desenho japonês). Falamos de carreira e música em um papo muito gostoso. E você vai ficar por dentro de tudo que conversamos.

Música

A música apareceu na vida de Manaia quando ela tinha seis anos. Sua irmã havia ganhado um teclado porém não teve interesse em aprender. Foi então que artista Aproveitou a deixa e começou a ter aulas.

Ela sempre se interessou pelos musicais, que quase não aconteciam no nosso país. Prestava atenção na maneira como as cantoras projetavam a voz neles . Ela participou também por anos de coral e aprendeu a tocar violão e percussão.

Composição

Perguntei a maneira como se dá o seu processo de composição. Ela me contou que há mais de uma forma.

Seu jeito favorito de escrever música é após observar fotos. Elas fazem a artista lembrar de situações, momentos que está vivendo e sentimentos que servem de inspiração.

outras vezes ela primeiro escreve um arranjo e depois a letra. As músicas também podem aparecer a princípio como poesias ou através de melodias que ganham letras.

Manaia

O nome artístico Manaia veio da tribo Maoni. Segundo a lenda dessa tribo, Manaia é um anjo guardião. Perguntei para a cantora como ela chegou em seu nome de artista.

O anjo, segundo a tradição, tem o corpo de homem, uma cauda de peixe e asas de um pássaro. Portanto ele alcança céu, terra e mar. A cor verde (Jade), a qual adora, representa a tribo. Todos esses elementos, vem de encontro ao estilo artístico da cantora.

A artista tem toda essa versatilidade e a capacidade de sempre se reerguer e se reinventar. E assim o nome Manaia foi adotado.

“Baby”

Não podemos deixar de falar do seu single “Baby” e seu vídeo.

A inspiração para a sua composição foi a época em que Manaia resolveu deixar para trás o trabalho no campo corporativo e começar a se dedicar à música.

Fala em sair da sua zona de conforto e mesmo com incerteza se dedicar ao que acredita, independente do que as pessoas acham e impõem a você.

Também está presente na música o fato de você ter coragem de ser você mesmo sem temer o que virá.

Sobre o clipe, a cantora em reunião ouviu várias ideias porém não gostou de nenhuma delas. Ela então pensou em todo o figurino e na ideia de ter uma gaiola, da qual a partir dela se desenvolveria toda a trama.

Eles resolveram filmar em um galpão onde ela estaria presa a correntes, lutando para sair daquela prisão. uma metáfora que reflete a vontade de ser livre e de se livrar de toda amarra que a sociedade impõe.

Manaia conta que foram 5 horas de gravação onde ela teve de aguentar 60 kg de correntes. Foi uma prova de fogo. Ela realmente teve a sensação de quem que ia sair daqui o mais rápido possível. Isso refletiu e muito no clipe que ganhou o maior vivacidade e realidade.

Boderline

Para quem não sabe a cantora possui a Síndrome de Borderline e sobre como ela influencia o seu trabalho e sua composição, a cantora foi enfática.

Como a síndrome potencializa suas emoções, sua criatividade fica mais aflorada e como ela sente muito suas emoções, fazer músicas fica mais fácil. Pois compondo é mais simples colocar seus sentimentos para fora, além de dar calma a ela.

Boston

Manaia estudou canto e música em Boston no College Of Mais. Para ela foi uma experiência enriquecedora conviver com tantos músicos.

A cada esquina da cidade tinha alguém tocando e fazendo música. Ela teve contato com o baixo e o tchelo e também pode aprender técnicas para cantar melhor R&B. Ela aprendeu muito e pode ampliar mais a sua musicalidade, além do pop.

Influências

As influências da cantora na música são diversas. Ela é muito fã da cantora Pink e contou que se fizesse um dueto com ela “tava feita”. Ela também curte cantoras como Lana del Rey, Britney Spears e Sia. Ela sempre gostou de Pop.

O Rock é outro estilo que a inspira muito. Evanescence é uma das suas bandas favoritas e ela admira muito a maneira em que a vocalista Amy Lee canta. Muse e Adele também são grandes influências.

A artista também ouve Sertanejo, que inclusive sua estrutura melódica foi inspiração para a música “Medo”, seu novo single.

Empoderamento

Sobre o empoderamento feminino, Manaia disse isso se intensificou “antes tarde do que nunca” e que é algo que tinha que acontecer.

Para ela, é de grande importância a união entre as mulheres. A história de cada uma e o que cada uma passou servem para dar mais força a todas as mulheres.

A união das mulheres, reforça nelas o fato de que o que cada uma sofreu e suas consequências as fizeram mais forte o que elas podem fazer e conseguir tudo o que quiserem.

É muito importante mostrar o poder das mulheres e que elas não são o sexo frágil.

Futuro

A cantora que acaba de lançar o single “Medo”, vai começar sua agenda de shows e lançar mais singles, para poder lançar um EP. E em 2019, vai gravar o seu álbum.

Seu novo trabalho será bastante eclético, uma vez que ela ouve de tudo um pouco, desde Rock e Pop até Sertanejo.

Manaia é uma cantora de personalidade e com letras que com certeza vai indpirar muitas e muitas pessoas. É lindo ver o amor com que ela fala sobre música e sua carreira.

Uma artista intensa e muito talentosa. Que em 2019 ela possa levar cada vez mais longe a sua música, sua voz, seu carisma e seu talento.

Eu com Manaia após a entrevista