Texto e entrevista por André Rossanez

A dupla Juan Marcus e Vinícius está lançando o projeto ao vivo “Pra Todo Mundo” e a primeira parte com 7 faixas já está disponível nas plataformas digitais.

O Portal Me Gusta teve o prazer e a felicidade de poder conversar com a dupla super talentosa e simpática, na sede da Universal Music em São Paulo.

Nós conversamos sobre carreira, composição e este novo álbum dividido em três partes com o total de 21 músicas. Inclusive ao conversar com eles, descobri que o nosso portal e a dupla fazem aniversário no memso mês. Em Julho, os dois completam 9 anos de carreira e o Portal Me Gusta, 3 anos de existência. Logo, logo Parabéns pra nós!

Agora fique por dentro de tudo que conversamos na íntegra. Você vai adorar.

Portal Me Gusta: Como foi o processo de escolha do repertório de “Pra Todo Mundo Ver”?

Juan Marcus: A gente vinha separando o repertório desde quase nove meses antes de gravar o DVD. A princípio era para a gente ter gravado o ano passado e era um projeto pequeno. Era um pocket show de 6,7 músicas, mas nesse processo de fazer um DVD pequeno, a gente estava compondo e não parava de compor e foi entrando música, entrando música e de 7 viraram 12, depois viraram 15 e depois 21 e então adiamos. Era um projeto pequeno e aí surgiu uma reunião com a gravadora, porque foi tomando uma proporção muito grande e ao mesmo tempo estávamos compondo. Então adiamos mesmo. jogamos para Abril para fazer um show grande e botar participação. Foi um processo que demorou de 9 a 10 meses. A gente começou a montar esse repertório em 2018. Gravamos 21 músicas e 14 são composições da gente sozinho e com outros parceiros”.

Me Gusta: Como se dá o processo de composição das músicas?

Vinícius: desde que a gente mudou para Goiânia, que a gente procura compor toda semana, sempre que dá. A gente separa alguns temas, que são ideias que a gente tem, e que não dá para compor ali na hora. Quando a gente tem algo na cabeça, salva. Então como a gente sempre se encontra para compor, chega na rodinha de decomposição e apresenta o tema. A gente compõe com três a quatro pessoas em média nos grupos. Também o Juan compõe sozinho, eu componho sozinho. Às vezes a ideia vem na hora e às vezes você já separou antes uma história de alguém ou uma história sua”.

Me Gusta: Como surgiu a faixa “Saudade Pura”?

Vinícius: É uma das poucas que não é composição da gente, mas é uma das das que a gente mais gosta. Quando a gente está no processo de ir escutando, gravando e ensaiando a gente meio que para de ouvir tanto para não enjoar. Só que depois que a gente foi ouvir o resultado final, ficou foda. “Saudade Pura” é uma das músicas mais fortes, até mesmo pelo tema dela. A gente sempre teve abertura para ouvir canções de outros compositores e essa é uma música que a gente acredita muito.

Me Gusta: Como surgiu a parceria com Dilsinho na música “Cortesia”?

Juan Marcus: A gente compôs a música “Cortesia”, faltando duas semanas para o DVD. Viajando a gente ouviu e viu que era uma música muito boae o nosso empresário já tinha vontade de que a gente gravasse com o Gilsinho por conta do timbre da voz, do estilo dele e por ele ser um cara é foda. Um dia a gente conversou e falamos para ele que tínhamos a música quando precisasse. Júlio que é o diretor de vídeo de todo DVD, também fez recentemente o DVD do Dilsinho, então tiveram contato bem próximo. Nos preparando para o DVD, nosso empresário Marquinhos, fez o vídeo da gente cantando, já ligou para ele e mandou a música para o Dilsinho, que tava viajando de férias. O Dilsinho Já respondeu e no dia seguinte já tava tudo certo a participação, a música escolhida e deu muito certo.

Juan Marcus e Vinicius recebem Dilsinho

Me Gusta: Uma música do projeto é “Hit do Ano”. Qual a importância dela para vocês?

Vinícius: A gente compôs ela com os parceiros de Goiânia. Quando a gente compôs não temos a pretensão de gravar. Faz uns dois anos que a gente escreveu essa música e até mandou ela para Zé Neto e Cristiano e para uma galera. Na época, para quem a gente mandou, não brilhou tanto a música. A gente fez um combinado, com quem compôs com a gente, que se nenhum artista surgisse querendo gravar a música, íamos dar prioridade para gravar. Porque a gente sempre acreditou nessa música e todo mundo acreditou com a gente. Um monte de artistas de pequeno, médio e grande porte. Todo mundo queria música, mas a gente deixou claro que íamos gravar a música. Antes do DVD, Teve até artista perguntando se a gente ia gravar “Hit Do Ano” e pedindo para liberar. E a gente disse que era nosso xodó. A gente queria gravar antes, mas preferiu gravar ela num projeto maior e com maior visibilidade.

Me Gusta: Como é fazer a segunda voz e como foi decidido na dupla quem faria?

Vinícius: A maiores dificuldades da segunda voz é aceitação da sociedade (risos de todos nós). É muito louco isso. Eu vejo que muita gente sabe o que é, muita gente reconhece, mas tem muita gente que não sabe também. Mas isso não me incomoda. As pessoas que curtem, curtem bastante e eu sei do trabalho que eu tô fazendo e da importância dele. A gente decidiu isso. Na verdade era já decidido. Eu tinha uma dupla antes, que eu também fazia a segunda voz, e foi quando a menina quis parar de cantar, que eu escutei o Juan e o convidei para cantar comigo já para ser a primeira voz. Não que eu não faça, também faço a primeira. Mas acho que é uma questão de timbre. O timbre do Juan é comercial para caramba, mas o grande lance é o casamento das vozes. As duas juntas somam muito”.

Me Gusta: No novo trabalho, vocês também passeiam por outros ritmos. Como isso se deu?

Vinícius: No processo de composição a gente tem muita influência do que a gente já ouviu. Somos de Brasília e sempre ouvimos de tudo. Muito do Eletrônico, do Pop, até do Rap e Hip Hop, do Pagode e do Samba, além do Sertanejo. Então a gente traz tudo isso na nossa bagagem de composição e compõe muita coisa diferente. Quando a gente foi gravar o DVD, não foi diferente disso. Ali tá nossa verdade, tá um pouco de tudo que a gente ouve, de tudo que a gente canta. Tem a Turma do Pagode, que é um pagodão mesmo. Felipe Araújo do sertanejo, participou de uma música que é um Pagodinho. Tem música com parte de Funk e o encerramento do DVD é com Música Eletrônica. A gente tentou gravar de tudo não só para agradar o público, mas também porque é um gosto musical nosso. A gente escuta de tudo mesmo”.

Foto: Divulgação

Me Gusta: Como surgiu o título do álbum, “Pra Todo Mundo Ver”?

Vinícius: Esse conceito foi pensado pelo pessoal da nossa equipe e eles pensaram nesse nome. A gente não tinha decidido ainda, faltando pouco para o DVD e eles chegaram com esse nome. O conceito é o seguinte; a gente sai dos bastidores da composição realmente para todo mundo ver agora nossa cara como artistas, não mais só as nossas letras, também nó. Os nossos rostos para todo mundo ver.

Me Gusta: Tem alguma música que vocês sentem que a mais pedida pelos fãs?

Juan Marcus: Acho que tem sido a “Alguns Defeitos”. A gente está agora o trabalhando “Cortesia” nas rádios. Mas a que a gente mais tem sentido é essa música. Ela foi a última que trabalhamos e fizemos um trabalho bem forte Principalmente aqui por São Paulo, em alguns shows vemos que é essa música. Fora as composições também, como “Regime Fechado” que a gente compôs e “Respeita o Nosso Fim”, que Gusttavo Lima gravou.

Me Gusta: “Regime Fechado” foi gravada por Simone e Simaria e agora por vocês no novo álbum. Como foi fazer a versão de vocês e manter a frase “eu deixo esse cara, você larga essa mulher”?

Juan Marcus: O combinado era cantar “você deixa esse cara eu largo essa mulher”, só que na hora a gente não se ligou e acabou cantando que nem a letra original. Acabou ficando assim. A gente não se importou com isso e não temos problema com isso. E a gente esperava o resultado dela, mas quando escutei até parecia outra música. Tava diferente, muito diferente.

Me Gusta: Quais são os próximos passos de divulgação?

Vinícius: A gente lançou agora a primeira parte com sete músicas e tem mais duas partes ainda, que estão para sair. São 21 ao todo e a gente procurou distribuir bem nesses 3 grupos de 7, para ficarem as que a gente acredita mais, bem distribuídas. Hoje em dia tá muito rápido. A gente cansou de ver duplas gravando DVD e passa dois a três meses e já estão gravando outra coisa, sendo que nem deu tempo de explorar tudo que podia. E a nossa estratégia foi exatamente de não soltar tudo de uma vez e ter novidades para ir lançando pros fãs. Aí temos até pelo menos o fim do ano, para aí sim pensar em gravar coisas novas.

Foto: Divulgação

Me Gusta: Como é a relação de vocês com os fãs?

Juan Marcus: A a gente tenta dar o máximo de atenção possível, tanto pessoalmente, em shows e nas redes sociais. Inclusive tem um grupo de WhatsApp mesmo, que tem umas 40 pessoas e a gente não se importa com isso. Elas mesmas tenham combinado entre elas de não chamar no privado e a gente sempre troca informação e conversa com elas.

Vinícius: O fã é a base de tudo. Não adianta nada gravar um DVD desse tamanho, escolher um puta repertório, se a gente não der atenção aos fãs, que são essenciais.

Me Gusta: O que diriam para os cantores que estão começando?

Juan Marcus: Trabalhar e colocar Deus na frente. Vai ter dificuldades, vai. Às vezes até não. E a gente não sabe o que é o sucesso para cada um e o que é a realização para cada um. A gente pode dizer que tem muita realização na carreira, gravando DVD e tendo empresário e gravadora. Então tem que ter muito pé no chão. A gente tá com quase 9 anos e sabe que ainda tem muito chão pela frente. Então trabalha devagar, com paciência e pé no chão. Pede para Deus as coisas e para ele livrar das coisas ruins no caminho. E siga em frente. Trabalhe direitinho que as coisas vem, não tem erro.

Eu com Juan Marcus e Vinícius após a entrevista