Após nove anos separados, o Westlife está de volta com seu novo álbum, “Spectrum” lançado pela Universal Music.

Com 11 faixas, que trazem o bom e velho Pop com maestria, o trabalho foi produzido por uma equipe renomada e talentosa composta por Steve Mac, Zack Skelton, Jamie Scott, Benny Blanco e Alex Charles.

Capa de “Spectrum”

Dessa vez o quarteto teve um braço direito de peso em cinco canções. Estou falando de Ed Sheeran, que escreveu essas letras especialmente para o disco. Vamos falar um pouquinho delas?

O primeiro single, mostra toda evolução vocal do grupo e já é um grande sucesso. “Hello My Love”, é um Pop dançante que lembra o início da carreira dos meninos, e ao mesmo tempo com um ar bem moderno.

“Better Man”, nos inspira a ser uma pessoa melhor através do amor. nessa faixa a divisão de vozes dos garotos foi muito bem orquestrada e sem dúvidas é uma das mais lindas canções do disco.

O mais importante que temos na vida é nossa família. E é sobre ser pai e ter uma família, que fala a letra de “My Blood”, que foi inspirada na paternidade, algo em comum entre os integrantes. Emocionante e inspiradora, é dedicada a todos os filhos e pais do mundo, inclusive os do coração.

As duas outras músicas de Ed, também são grandes destaques. “Dynamite” é super empolgante e tem uma pitada de música eletrônica. E “One Last Time” é leve, muito bela e apresenta uma abertura de vozes muito bem pensada, que resultam em harmonia.

Uma das melhores músicas do álbum, e que arrisco a dizer que também é uma das melhores da carreira da boyband, é “Take Me There”. Uma música para cima e gostosa de ouvir, que lembra bastante sonoridade do Coldplay.

E quem nunca se sentiu perdido sem alguém que adora. É sobre isso que fala a linda, sensível e emocionante “Without You”, que tem de tudo para ser uma das mais queridas do público nesse novo disco.

Outro destaque que chamou atenção, foi a faixa “Repair”. Nesta canção, as vozes aparecem de uma maneira mais limpa e sem firulas, e surpreende ao apostar em agudos, de uma maneira que lembra bastante os usados pelo Bee Gees. E como não amar “L.O.V.E”? O arranjo dessa música é envolvente e faz nos sentirmos mais leves. Nos deixamos levar pela música. É muito amor!

O Westlife conseguiu fazer um disco bem Pop, que manteve sua essência e com músicas que lembram um pouco as mais antigas, mas que ao mesmo tempo trazem modernidade, arranjos mais maduros e com uma sonoridade variada, que vai do Pop mais tradicional até um Pop com ares eletrônicos.

Um dos integrantes, Shane quando o grupo anunciou o retorno, falou sobre esta nova fase e ao escutar o novo disco, vemos que o resultado ficou como ele disse. Segundo ele na época, “Precisamos ser um Westlife 2.0, uma versão melhor de nós mesmos. Queríamos vir de volta e recriar o som do Westlife, mas melhor e ser uma banda melhor. A coisa mais importante para qualquer banda, é a música”.

É muito gostoso perceber que o Westlife voltou mais unido do que nunca e mais maduro. nesse novo trabalho as divisões de vozes foram feitas de maneira muito inteligente, o que fez com que cada um deles tivesse o mesmo destaque nas músicas. Isso traz ao grupo, uma unidade mais coesa e harmônica .

Um disco para ouvir muitas e muitas vezes. Um dos melhores da carreira do Westlife.