O ator e cantor Benjamín, acaba de lançar “Gela”, seu primeiro single após assumir a transição de gênero.

A música e a arte correm nas veias dele desde criança. Ele é formado em artes cênicas e participou da última temporada de ‘Malhação’.

O Portal Me Gusta teve a felicidade de entrevistar por telefone Benjamín, que contou tudo sobre o novo single, um pouco mais sobre sua carreira, transição e próximos projetos.

Fique por dentro de tudo que este artista completo contou e conheça melhor o talentoso Benjamín.

Portal Me Gusta: Como surgiu seu amor pela música?

Benjamín: Eu costumava bater panela na cozinha de casa, eu queria ser baterista e cantor, e conforme fui crescendo isso só foi aumentando dentro de mim. Antes de ir para escolinha, eu ensaiava o meu show que ia fazer quando crescesse. Então, Foi algo que sempre esteve muito presente no decorrer dos anos e eu fui investindo mais nesse meu desejo. Mas acho que era muito mais que um desejo, acaba sendo uma motivação, minha inspiração do dia a dia.

Me Gusta: Como se dá seu processo de composição e quais são suas inspirações?

Benjamín: Eu não tem uma regra nos meus processos criativos de composição. Tem o dia que eu acordo com alguma letra na cabeça uma melodia e aí, eu já sento para transbordar isso. Tem dias que eu vejo, sei lá, algum livro ou filme e isso me dá um gatilho pra escrever alguma coisa. Tem vezes que eu vivencio alguma coisa, e preciso de alguma forma desabafar ou curar algo dentro de mim. A música acho que tem diversos papéis nesse processo de composição. É muito diverso e eu consigo me manter aberto a todas essas versões do processo, não existe uma regra. Acho que quando tem uma regra, já não é processo criativo.

Me Gusta: Como surgiu o novo single “Gela”?

Benjamín: Esse single surgiu assim que eu terminei um relacionamento que tive. Acho que foi um momento que eu precisava colocar isso para fora. Fala sobre o meu encontro com essa pessoa, que é uma pessoa que acredito que todo mundo deve ter, e que a gente já sabe que não vai dar certo, mas acaba insistindo mesmo assim. Acho que eu tinha essa necessidade de falar sobre isso. Fala sobre encontros e desencontros, e quando é exatamente essa hora de parar e quando as coisas chegam ao fim. Eu acho que é tudo uma reflexão sobre isso. Por mas que ela seja uma música que tem uma letra meio melancólica, a melodia é super pra cima, super dançante. Eu queria colocar muito esse contrastebe de não ser essa coisa do sofrimento, mas sim uma celebração do sofrimento, uma ressignificação. Ela tem um pouco disso.

Capa do single “Gela”

Me Gusta: Como foi gravar o clipe do single?

Benjamín: Foi o primeiro clipe que eu gravei e “Gela” foi a primeira música que escrevii. Acho que existe essa emoção de ser a primeira, sabe, de algo que nunca mais vou viver, porque a primeira é sempre a primeira. Então eu fui muito nessa energia, nessa intenção de fazer valer a pena. Foi bem inesquecível.

Me Gusta: Como surgiu a participação no reality Filtr Next e como foi participar?

Benjamín: Na verdade, o reality foi um convite da gravadora, pra primeira temporada e era um projeto que eles estavam desenvolvendo, mas que era algo independente do meu projeto. E calhou as datas e os projetos se sincronizaram. Acredito muito nessa coisa do universo, de como as coisas acontecem quando tem que acontecer e do jeito que tem que acontecer. Então, aconteceu uma sincronia de datas e foi bem legal como tudo isso se desenhou.

Me Gusta: Quais são suas influências musicais?

Benjamín: Tenho muitas influências. Cazuza, Elis Regina, Belchior. Tem muita gente. O próprio Elvis, eu sempre fui apaixonado pelo Elvis. E acho que da galera mais jovem,, gosto muito de Lagum, de Jão. O Tunai, acho o trabalho dele bem bacana. Tenho algumas influências aí.

Me Gusta: Como está sendo esse momento pós transição e como é para você saber que é porta-voz de tanta gente?

Benjamín: Vem sendo muito bom. Depois que eu fiz o anúncio, realmente me senti bem mais aliviado e as coisas fluiram muito bem com muita receptividade. Recebi muitas mensagens positivas. Então, tem sido tudo muito bom para mim. E é bem importante falar sobre isso, porque de fato existe uma representatividade. Costumo dizer que é uma responsabilidade, porque embora as vivências trans não sejam iguais, nenhuma delas, embora isso aconteça, existe isso de eu estar num lugar de maior alcance. Então, eu acabo sendo uma referência e tenho tentado equilibrar isso. Porque ao mesmo tempo que eu tenho isso, de ser uma pessoa que tá falando com muita gente e tendo esse nível de representatividade, eu também não posso ignorar outras vivências que são diferentes da minha. Porque eu sou um menino branco, por exemplo, isso já é uma vivência completamente diferente. Eu tive apoio da minha família, por exemplo, que é algo que algumas pessoas não têm. Então é uma responsabilidade muito grande, mas é uma responsabilidade que eu tenho muita honra de segurar. Pretendo falar cada vez mais disso e trazer isso cada vez mais.

Me Gusta: Como tem sido esse momento de isolamento social e produzir e criar durante a quarentena?

Benjamín: Meu bloqueio criativo na quarentena foi tão grande, mas tão grande, que depois da última música que escrevi antes da quarentena, só escrevi outra na semana passada, porque eu não tava conseguindo compor. Foi um momento com outras coisas também que tavam acontecendo e eu não gosto de me cobrar, acho que as música e a composição acontecem quando têm que acontecer. Então existiu esse bloqueio e ele não existe mais. Já voltei a compor, voltamos a normalidade.

Me Gusta: Você tem planos para voltar a atuar?

Benjamín: Nesse momento, tô muito focado na música, tem muita coisa boa que a gente tá planejando pela frente, muitas músicas e tem um álbum em vista também. Tô focando muito na música nesse momento, mas também me mantenho muito aberto à outras propostas e tenho recebido bastante proposta na área de atuação também. Acho que é uma questão de estar focado em alguma coisa nesse momento, e nesse momento estou focado na música. Mas pode ser que um dia eu volte a atuar. Costumo me manter aberto a tudo e gosto muito de atuar também. Mas nesse momento eu tô focado mais na música.

Me Gusta: Dentro do que puder adiantar, quais são os próximos passos da carreira?

Benjamín: Tenho esse álbum que tá em processo de pré-produção para o ano que vem, se der tudo certo. A partir disso pretendo fazer shows, se a pandemia também colaborar. Pretendo entrar em turnê nos próximos meses no próximo ano.