Já está entre nós e o tão aguardado EP de estreia de Juliette como cantora e que promete encantar os cactos de todo país.

Segundo ela, “Eu não consigo explicar tudo o que estou sentindo… frio na barriga, felicidade, euforia, medo, paz, gratidão… muita gratidão… Pela música, pela vida e por vocês. Esses são apenas os primeiros passos dessa nova trajetória e o meu único pedido é que essas músicas toquem vocês como fazem comigo”.

A artista ainda diz, “Sempre gostei de música e de cantar. A arte tem um espaço especial no meu coração. É uma emoção gigante criar esse projeto, meu primeiro, ao lado de pessoas tão importantes e talentosas. Construir todo esse meu universo é um sonho”.

Capa do EP “Juliette” – Foto: Fernando Tomaz

O projeto que antes de lançado alcançou a marca de 600 mil pré-saves, tem 6 faixas que mostram a personalidade de Juliette e exalta as origens nordestinas dela.

Quatro das canções são Xotes bem gostosos e leves. “Bença” que abre o trabalho é bem swingada e fala sobre seguir em frente e curtir a vida, sem esquecer de suas origens e não ligando para o que os outros falam e nem para preconceitos. Uma bela exaltação ao povo nordestino.

Três dos xotes tem Anitta como um de seus compositores. “Doce” é bem boa pra dançar coladinho, e traz muita doçura e amor. Já “Sei Lá”, é a melhor das músicas, na visão de quem vos escreve, de maneira apaixonante fala sobre paixão e pensar em quem se ama. E também encantadora, temos “Benzin”, sobre dar colo quem se quer bem.

Foto: Fernando Tomaz

Ainda com um pouco do Forró, às duas outras faixas são bem mais Pop e também trazem leveza ao trabalho de Juliette. “Diferença Mara” É animada e fofa e fala sobre um amor inesperado, onde as diferenças de personalidades se complementam. “Vixe Que Gostoso” tem um arranjo bem moderno e dinâmico, que mostra um tom um pouco mais grave da voz da artista.

Juliette começou muito bem a sua carreira como cantora. O álbum é bem gostoso de ouvir e tem músicas muito legais, que refletem toda a personalidade da mulher e da artista e com músicas que conversam muito bem entre si. Sonoridade é bem brasileira e brinda as origens nordestinas da nova queridinha do Brasil.

E o que falar da Juliette como cantora? Ela tem uma voz muito bonita e canta bem. Falta um pouco ainda, para que ela se torne uma grande cantora. Mas neste trabalho, dá pra perceber que se Juliette estudar canto e se dedicar bastante, pode sim vir a ser uma grande cantora. Ouvindo o EP vemos que artista usou tons de voz mais seguros ao cantar e não brincou tanto com a voz, como por exemplo, muitos melismas, variações ou agudos. Juliette usou a sua voz de maneira mais confortável e sabendo quais seus limites vocais e como explorar bem as características boas seu canto.

Juliette tem de tudo pra evoluir e mesmo com algumas limitações técnicas vocais, Teve uma ótima estreia no mundo da música e com um bom repertório. Ela ainda vai bem longe.

Foto: Fernando Tomaz