Um dos álbuns mais queridos da icônica The Doors, “L.A. Woman”, completa 50 anos e em comemoração é lançada

“L.A Woman: 50th Anniversary Deluxe Edition” é a versão definitiva do sexto disco de estúdio da banda, remasterizado pelo engenheiro de som e mixagem de longa data do The Doors, Bruce Botnick e. Nega com diversos outtakes e demos inéditas. São cerca de duas horas de material inédito.

Entre as joias inéditas está a demo original de “Riders On The Storm”, que foi capturada durante uma sessão de gravação do álbum nos estúdios Sunset Sound. A demo foi descoberta recentemente em um rolo de fita não marcada no cofre da banda, após ser considerada perdida por décadas. A gravação foi feita com o produtor Paul A. Rothchild, que ficou famoso por se referir à música como “música de coquetel”. Isso levou Rothchild a deixar o projeto, com a banda optando por co-produzir o álbum com Botnick.

Capa do álbum “L.A. Woman”

Os outtakes adicionais apresentam Jim Morrison, John Densmore, Robby Krieger e Ray Manzarek trabalhando no estúdio com dois músicos adicionais. O primeiro foi o guitarrista base Marc Benno, que trabalhou com Leon Russell no The Asylum Choir. O outro era o baixista Jerry Scheff, que era membro da banda TCB de Elvis Presley.

No estúdio, Botnick diz que a banda adotou uma abordagem mais orgânica para gravar, em vez de começar e parar repetidamente para atingir a perfeição técnica. “As fitas inéditas – tomadas em série de‘ The Changeling ’,‘ Love Her Madly ’,‘ Riders On The Storm ’e‘ L.A. Mulher ‘- retratam uma banda obcecada por groove enquanto executa viradas e floreios com a precisão de um combo de soul bem perfurado. A ideia era ir de uma música para outra, para deixar fluir ”.

Entre os outtakes das faixas do álbum, podemos ouvir a banda tocando alegremente os tipos de canções clássicas de blues que Morrison uma vez descreveu como “blues original”. Canções como “Mystery Train” de Junior Parker, “Crawling King Snake” de John Lee Hooker e “Get Out Of My Life Woman”, clássico funky de Lee Dorsey de 1966, são alguns exemplos.

O veterano jornalista de rock David Fricke escreveu: “Morrison pode nunca ter voltado ao The Doors, mas com sua morte, ‘L.A. Woman’ tornou-se renascimento, conquista e finalização, tudo de uma vez. É o blues também – blues original, como Morrison prometeu. Cinqüenta anos depois, ainda não há nada igual”.

Para comemorar essa nova edição foi lançado também o clipe da faixa “Riders On The Storm” dirigido por Brendo Garcia e Adriano Gonfiantini. A produção mostra imagens surrealistas retiradas das letras da música, bem como da história da banda.

Garcia e Gonfiantini filmaram o vídeo no Brasil, estrelando a modelo Gabe Joie, em um estúdio usando a mesma tecnologia de ponta que está sendo usada para fazer a série “O Mandaloriano, combinando filmagens live-action e computação gráfica em tempo real para conseguir um visual que evoca a música com uma vibe de sonho.

Muitos easter eggs do Doors estão escondidos ao longo do vídeo, incluindo uma placa para o Barney’s Beanery (um dos bares favoritos de Jim Morrison em West Hollywood); uma mulher amarrada a um poste de luz relembrando a imagem encontrada no encarte do álbum original “L.A. Woman; além de um vislumbre do Alta Cienega Motel, onde Morrison morou no quarto 32 de 1968 a 1970.