A espera por fim acabou. Já está entre nós “11:11”, o novo álbum do Maluma. O Me Gusta tinha já escutado o CD e agora posso contar tudo deste trabalho que sem dúvida é um dos melhores da carreira do colombiano mais amado do Brasil.

Lançado pela Sony Music, o disco tem 16 faixas e foi produzido por diversos produtores craques do mundo da música. Entre eles Tainy, Madmusic, Edgar Barrera “Edge”, Tezzel e Ilya Salmanzadeh.

O cantor explica a escolha do título do novo trabalho, “11:11 é um sinal direto de nossos guias, anjos e maestros para estabelecer um momento de conexão, sincronicidade e consciência com nós mesmos, com o todo. É um chamado para despertar, é uma porta para meditar, escutar nossa intuição, olhar em nosso interior, tempo para pararmos e sentirmos as energias sutis do universo. É um chamado de nossa essência, um lembrete de nosso verdadeiro propósito na terra”.

Capa de “11:11”

Abrindo o disco temos “11 PM”, um Reggaeton mais lento e compassado que fala sobre a mulher se valorizar e não dar corda ora aquele cara que a deu valor.

O primeiro single “HP” é todo dedicação às mulheres e fala da garota independente que cansou de tanto cara idiota e que os põe em seus lugares. Um tempinho depois de Maluma colaborar com o amigo, Ricky Martin o presenteia com sua participação em “No Se Me Quita” sobre aquela conexão imediata, sem explicação, que você sente num beijo, num toque e que depois a pessoa não sai da sua cabeça.

Três grandes nomes do Reggaeton atual também estão no álbum do Colombiano. Ozuna participa em “Dispuesto” em clima de sedução, Nicky Jam empresta o seu talento para falar daquela mulher que se ama muito e que é inesquecível em “No Puedo Olvidarte” e a dupla Zion e Lennox aparecem em “Extrañandote” para falar do desejo de quê amada retorne, não importa quanto tempo demore.

O romantismo aparece em “Dinero Tiene Cualquiera”, que vem com a voz de Maluma mais suave e com guitarra latina para lembrar que amor é muito mais importante que qualquer coisa material que se possa desfrutar.

Uma música é surpreendente. “Soltera” logo de cara começam com um pouco de música indiana e logo a gente pensa em Madonna. E é exatamente ela quem divide a faixa com Maluma. Aquela música que te faz querer dançar e muito. Uma das melhores do CD. Muito orgulho de nosso “Maluma Baby”.

Maluma se joga na Salsa e mostra que tem personalidade e que sabe muito bem navegar neste ritmo em “Te Quiero”. Uma grata surpresa de tirar o fôlego.

Para completar as colaborações do disco temos a amada “Instinto Natural” com Sech, “Tu Vecina” que com Ty Dolla Sign mistura Reggaeton, Hip Hop e salsa com merengue, “La Flaca” que com Chencho Corleone trás um pouco mais de Hip Hop e “Puesto Pa’Ti” junto à Farina para te animar.

Finalizando o álbum com chave de ouro, “Déjale Saber” onde um homem pede que a amada dê o recado ao ex, dizendo que ela está bem mais feliz agora na nova relação, sem maltrata e com a vida andando melhor.

Contracapa com a Tracklist de “11:11”

Maluma conseguiu em seu novo trabalho discográfico trazer inovações à sua música, lembrar a sua essência musical de início de carreira em algumas faixas, modernizar o Reggaeton e escalar um time de primeira para cantar com ele. Isso faz de “11:11”, um dos melhores discos de sua jornada musical.

Podemos dizer que este álbum conversa e muito com o título “11:11” e seu significado. O CD consegue conectar Maluma com seu eu artístico e pessoal, mostrar a importância da intuição e emanar energia positiva ao universo.

Mais um mega acerto de Maluma, que mostra de uma vez por todas que seu talento e sua versatilidade vieram para ficar e voarem mundo afora.