Emicida, um dos maiores nomes do Rap nacional, cada vez mais traz canções impactantes e que refletem a nossa sociedade. E não é diferente em “AmarElo” com a participação de Majur e Pabllo Vittar.

A canção ganhou um clipe que nos incentiva a seguir em frente retirando as pedras do nosso caminho. A produção dirigida por Sandiego Fernandes foi gravado no Rio de Janeiro no Complexo do Alemão.

Sobre o novo single, Emicida conta “No primeiro passo desse processo, a nossa intenção era que as pessoas se sentissem grandes ao olharem no espelho. Agora, a ideia é que elas observem ao redor e se enxerguem maiores do que os seus problemas, independente de quais sejam”.

Sobre a força dessa música, Pabllo Vittar conta “A música é cheia de mensagens importantes, atuais e que retratam a diversidade, a luta e a força que vivemos todos os dias. O valor social que ‘AmarElo’ carrega é enorme e vai promover reflexões que precisam, cada vez mais, ser levantadas”.

Logo no começo ouvimos e depoimento de uma pessoa próxima ao rapper que tentou suicídio e isso logo é quebrado com trecho da canção “Sujeito De Sorte” de Belchior, para lembrar e hoje pode ser melhor do que ontem. Essa foi uma grande sacada do cantor e deu maior força à sua composição.

E foi muito bacana o fato de Emicida escolher duas figuras com grande representatividade na população negra e na comunidade LGBT para cantarem com ele.

É uma forma de protesto à situação atual do nosso país. Por aqui a cada 23 minutos um jovem negro é assassinado e a cada 20 horas um LGBTQ+ morre violentamente (73% assassinados e 24% por suicídio). Já está na hora de lutarmos para mudar essa situação.

Esse é o segundo single do novo álbum pela Sony Music, que Emicida chama de ‘experimento social’. Segundo ele, “apesar de ser nobre conduzir uma experiência sonora por, mais ou menos, uma hora, é preciso ter cuidado para cultura da música não ser engolida pela cultura das plataformas”.