No dia 15 de agosto de 2008 os fãs do RBD foram pegos de surpresa por um comunicado do grupo a imprensa contando que o grupo iria terminar e que os shows iriam só até Dezembro.

Os rebeldes também comunicaram que lançariam o último disco com canções inéditas em estúdio. E foi no dia 26 de janeiro de 2009, que mesmo após eles terem se separado, foi lançado o single “Para Olvidarte De Mí”, que daria nome ao álbum de despedida.

Os fãs ficaram muito felizes com a nova canção que foi tão bem recebida por todos. E o mais bacana é que ela era homenagem dos integrantes aos fãs. Uma faixa madura e com uma distribuição das seis vozes muito bem feita. Emocionante.

Finalmente no dia 10 de Março, foi lançado aquele que seria o CD de despedida do RBD pela EMI Music. Para ele foram escalados os dois produtores que acompanharam o sexteto ao longo da carreira, Armando Ávila e Carlos Lars. Também participou o produtor MachoPsycho.

Para abrir o disco fomos presenteados com “Camino Al Sol”, uma faixa inspiradora que nos incentiva a viver com o máximo de alegria, a nunca desistir de nossos sonhos e objetivos e a não se deixar vencer, se hoje não for um bom dia.

Destaque para “Mírame”, onde Maite Perroni e Christopher von Uckermann dividem os vocais, sendo acompanhados dos amigos apenas no refrão. Isso foi muito bacana, pois muitas vezes os dois eram subestimados como cantores e em muitas canções do grupo, cantavam poucas parte sozinhos ou nenhuma. Foi uma oportunidade de relembrar o quão talentosos são.

As três mulheres do grupo, ganharam bastante destaque em algumas canções. Em “Quién Te Crees?” elas cantam sozinhas e dividem por igual as vozes para falar de quebra de confiança em uma relação. As três ficam a frente de “Más Tuya Que Mía” que nos convida a darmos valor em nós mesmos.

Além disso, Anahí aparece solo, com os companheiros no backing vocal do refrão, em “Desapareció”, que é uma das favoritas dos fãs já foi cantada por ela em shows da carreira solo. E Dulce Maria também tem seu solo em “Lágrimas Perdidas” sobre estar melhor só do que mal acompanhada.

Reafirmando a maturidade do grupo, pela primeira vez um álbum deles ganhou uma música toda eletrônica. “Puedes Ver, Pero No Tocar”, ganhou efeitos de voz tipicos do gênero eletrônico e uma letra cheia de atitude. Foi dado bastante destaque ao Alfonso Herrera nessa faixa, algo que conquistou a todos, já que ele sempre foi o que menos se mostrava ao cantar, por opção própria mesmo, talvez porém segurança por sempre ter gostado mais da arte de atuar como ator.

Um disco de despedida não podia deixar de ter aquela canção para fazer chorar. “Adiós” é a última canção e um verdadeiro poema de despedida. Na letra, o RBD agradece o carinho e o apoio do seu público e também lembra que é a hora de dar adeus para poder dar vida a uma nova etapa e seguir novos horizontes. Uma canção que também lembra que o coração de cada um deles estará sempre conectado aos nossos. Impossível não se emocionar!

“Para Olvidarte De Mí”, Sem dúvida é um dos melhores e mais bem produzidos e maduros álbuns do RBD. Tanto as letras como os arranjos das canções, são muito bem pensados e maduros. É uma pena que não tenha dado tempo, do disco ser mais divulgado e ganhar mais singles, além de seu único. E dá um certo vazio, lembrar que eles nunca cantaram nenhum dos temas em show do sexteto.

Antes mesmo de ser lançado, alguns críticos musicais e até fãs, diziam que este disco iria fracassar em vendas e popularidade. Mas não foi isso que aconteceu. No mundo todo foram vendidas mais de 3 milhões de cópias, o que reafirmou a força do talento e do fenômeno que se tornou o RBD. E os fãs gostaram muito do resultado.

Último encontro do RBD em Janeiro de 2009 para a coletiva de imprensa do lançamento do álbum. Alfonso estava gravando um filme e não pode participar.