Por André Rossanez

Após cinco anos sem lançar material inédito Selena Gomez lança “Rare”, seu terceiro álbum.

Com 13 músicas lançado pela Interscope Records e Universal Music, o disco é autobiográfico e foi feito após a cantora passar por momentos difíceis como fim de relacionamento, depressão e transplante de rim causado pelo Lúpus.

Selena explica a escolha do nome do álbum. “É uma mensagem bonita sobre meninas que não percebem que são raras. Não sinto que falam o suficiente que as meninas são raras”.

Sobre o novo trabalho, a artista reflete “Representa uma visão da minha jornada de cura e crescimento. É de longe o trabalho que mais me orgulha até hoje”.

Logo na primeira música já temos uma mostra de que esse é o disco mais maduro da carreira de Selena. “Rare” é uma faixa sobre sutosuficiência e seu arranjo trás uma batida bem marcada e empolgante. Um Pop bem sofisticado, digno de uma grande cantora.

A alegria toma conta do álbum com “Dance Again” que conta com elementos eletrônicos que dão empolgação. Batidas eletrônicas também não faltam em “People You Know”, uma musica agradável de ouvir e o mais bacana, seu arranho vai se moldando de acordo com os tons da voz de Selena Gomez.

Um grande acerto é o single “Look At Her Now”, que fala de forma bela sobre superação. Uma música bem chiclete e diferente das outras gravadas pela cantora até agora, onde ela usa diversos nuances de sua voz.

Uma das melhores músicas é “Lose You To Love Me”. destaque para a sua letra forte sobre decepções o que nos faz ficar mais fortes. essa balada com bastante piano já passou a marca de 700 milhões de streams nas plataformas digitais e quando foi lançada ficou em primeiro lugar do Top 100 da Billboard Americana.

Outro ponto forte é “Ring” uma faixa bem R&B e que nos remete aos cabarés. Sua melodia vai crescendo durante a canção e no ápice uma guitarra dá um toque todo especial. É muito bonito ouvir a voz de Gomez em um tom mais grave.

Uma escolha feliz é “Crowded Room” com a participação de 6LACK, outro R&B que no meio tem de forma harmônica o trap do rapper. Nela, Selena canta belos tons mais agudos com direito até a falsete.

“Fun” chega como uma das melhores do disco, com um quê de olderschool e bem gostosa de ouvir. E a melhor de todas, ao gosto de quem vos escreve é a deliciosa “Cut You Off”. Uma faixa solar e Pop com uma base no Blues e na Soul Music, com direito a modulações bem interessantes na voz da Selena.

Este realmente é o melhor álbum da carreira de Selena Gomez. De uma vez por todas, a artista deixou de lado resquícios de adolescente e mostrou maturidade e que está se tornando uma grande cantora.

Selena, enfim está preparada para representar a Música Pop mundial, firmando mais ainda seu nome e sua arte. Neste trabalho ela surpreendeu com um Pop nada clichê e mais sofisticado, que se mistura com R&B e elementos de música eletrônica.

Na sua estreia, o álbum alcançou o nº1 no iTunes em 70 países, como por exemplo, os Estados Unidos e o Brasil. E o mais extraordinário, nos EUA essa posição foi alcançada em apenas 18 minutos.

A Revista Rolling Stone fez uma análise certeira sobre o disco “Rare”. Segundo a publicação, “Os últimos anos da vida particular de Selena foram dolorosos e públicos. Com agravamento da luta contra o lúpus, um transplante de rim e permanecendo em centros de tratamento de saúde mental e rompimentos de alto nível. ‘Rare’ é chocante e lindamente otimista. Ela ‘dançar de novo’, festejando sua personalidade novamente iluminada e dizendo que está pronta para deixar o amor entrar”.