Texto e Fotos de André Rossanez

Nesta Quinta, dia 16, um dia antes do lançamento do álbum “Ouro”, Vitão recebeu a impressão e convidados para a coletiva de imprensa de lançamento pela Universal Music e um pocket show incrível.

O Portal Me Gusta teve o privilégio de participar deste evento em São Paulo no Layback Park e vai contar tudo que ele contou na coletiva e como foi a apresentação com as novas canções e alguns hits já conhecidos.

Coletiva de Imprensa

. Evolução da primeira música até hoje

“Acho que hoje eu sou muito mais convicto do que realmente eu sou musicalmente artisticamente. Hoje realmente sei que artista que eu sou. Na minha primeira música era uma parada, claro que era eu, talvez não tão convicto. Eu não tinha certeza exatamente do que eu realmente queria ser, da imagem que eu queria ter e o que eu queria passar exatamente para as pessoas. Hoje em dia eu tenho essa noção e ouvindo o disco já dá para ter essa convicção, de que já é uma parada mais madura, mais sólida. Adquiri isso com o tempo de estrada, com shows, passando pelas cidades, o tempo em estúdio e fui conhecendo muitos artistas. E isso traz uma bagagem pra gente, fazendo a gente se auto conhecer de uma forma que é importante e necessária para fazer um disco, tá ligado? Acho que é isso. Hoje eu tenho muito mais certeza do que realmente sou, como quero ser apresentado e que artista eu quero ser “.

– Escolha de repertório do disco “Ouro”

“Algumas músicas do disco são músicas que fiz anteriormente, não com a convicção de que iam pro disco e algumas foram já feitas pensadas pra irem pro disco, tá ligado? Tem músicas que eu fiz mais para o segundo semestre do ano passado, que foi a época mais que a gente tava realmente fechando o disco e com data de lançamento. Mais ou menos metade do disco, foram as músicas que foram para o estúdio na última semana e que a gente falou ‘tem que sair, se não fodeu’ e outras músicas como “Tratamento Perfeito”, que é a segunda do disco, o feat com o Hodari. Foi a música que a gente fez no Carnaval do ano passado. Ele me mandou uma guia com a voz dele e eu acabei escrevendo em cima. Era para ser uma parada dele, para o disco dele. Aí chorei para ele, pedi a música e ele me deu a música que pus no disco. Algumas coisas já foram pensadas pro disco e algumas outras foram pensadas depois”.

– Participações Especiais

“Eu decidi colocar nesse disco as pessoas mais próximas, minhas amigas. Pessoas muito especiais. Nesse disco só tem as participações que realmente não poderiam faltar”.

Day e Vitão no Pocket Show

“A Day é uma artista maravilhosa. Além de ser una artista incrível, é uma compositora incrível, uma cantora incrível e é muito minha amiga. A gente ficou muito amigo desde que a gente se conheceu e comecei a compor para ela e a gente compôs juntos, escrevi pro EP dela. Ela tá junto na composição de “Complicado”, que é o feat com Anitta. “Maturidade”, a música que ela tá junto, a gente escreveu junto no violão e foi depois que tivemos a ideia de colocar no disco”.

“O Hodari também é muito meu amigo e é meu tatuador também, ele que fez essa que é a do meu disco. Ele que desenhou o logo, fez a mão”.

Hodari e Vitão no Pocket Show

“O Luccas também é um cara que sempre fui muito fã e depois que conheci fiquei mais ainda. Ele é uma pessoa maravilhosa, uma pessoa que estendeu a mão para mim no começo de tudo, no começo da minha carreira quando eu tinha relevância zero, praticamente na música e ele já era um artista conhecido. A gente escreveu “Embrasa” que foi a segunda música que lancei. Ele me estendeu a mão e eu não tinha nome nenhum na cena musical brasileira. E ele acreditou independente de qualquer coisa. Foi muito especial para mim e ele é muito meu amigo. Tem o Gaab que também é uma pessoa maravilhosa, uma pessoa engraçada para caralho e que amo tá perto e que sempre fui também muito fã. Ele é um compositor incrível. Tem Anitta e Feid que estão nas músicas que já tinham sido lançadas. O Feid é super meu amigo e a Anitta também é maravilhosa e uma pessoa muito especial para mim. E o Rael é um artista que eu me inspirei quando comecei a compor e cantar. Ele era minha inspiração master, tá ligado? Durante uma época quando eu era mais novo, eu escrevi umas paradas e mostrava para as pessoas e elas falavam ‘tá igual ao Rael, muda isso aí’. E hoje no primeiro disco tenho a participação de um artista como ele, que além de eu ser muito fã, é um artista com muita relevância nacional que já fez muito pra nossa música e nossa arte. É uma honra ter cada uma dessas pessoas, é inexorável. E o melhor de tudo é que eles são muito meus amigos, são pessoas próximas que conheço e que acredito muito”.

– Dá tranquilidade ou mais nervoso, lançar um álbum depois de ser conhecido e não ao contrário?

“Acho que me dá mais tranquilidade, porque eu já meio que fiz uma introdução de quem sou eu. O ano passado foi meio um ano de introdução de quem eu sou, do que eu falo, qual o meu papo, o que quero trazer, qual o meu estilo, como me comporto, qual minha imagem e minha voz. O ano passado foi a apresentação pras pessoas de quem sou, de quem é o Vitão, o Vitor, seja lá como for. Acho que agora é um segundo momento talvez, um segundo degrau e dá tranquilidade, porque eu já adquiri o carinho de muita gente, tá ligado? De muito fã clube, muito fã, muita gente que me para na rua e diz que me ama e que chora. Sei que essas pessoas vão ouvir esse disco que é uma parada que fiz com muita verdade, e vão enxergar essa verdade. Acho que já me deixa mais tranquilo do que se eu tivesse começando do zero e com um disco logo de cara”.

– A Capa do álbum “Ouro”

“A história dessa capa é engraçada. No dia que a gente foi produzir a capa a foto era outra, o conceito era outro. Uma parada super iluminadora, tinha objetos de ouro atrás e uma caveira dourada, um monte de coisa assim. E eu não tava curtindo muito as fotos. Aí ele falou ‘pô tu tira a camiseta, vamos fazer umas fotos sem camisa’ e aí comecei a fazer e tinha uma luz de cada lado e eu ficava no meio sem camisa e ficava com clarão, assim. Aí em uma das fotos o refletor de um dos lados pifou e não acendeu, só a outra e eles nem tinham me mandado essa foto na primeira leva e eu falei ‘pô, manda aquela foto, que eu quero olhar ela’ e aí no que eles me mandaram, eu falei ‘é essa, o erro deu certo a a foto é essa’. Eu também não tinha gostado das outras e essa eu bati o olho e falei ‘é isso’. E também era a única foto com a mão no peito, uma parada de estar com a mão no coração, de ser uma parada de coração, de amor e de sentimento que mexe muito comigo pelo menos. Meu coração. Fez todo sentido eu estar com a mão no peito. E ter só essa luz de um lado e a outra ter falhado, acabou dando a foto perfeita”.

. Escolha do nome “Ouro”

“O nome “Ouro” tem algumas histórias. Uma delas é que a equipe inteira que trabalha comigo me chama de Gold, porque ia rolar um acampamento de composição, artistas e compositores da Universal (Music) do mundo inteiro mundo e em um dos jantares de confraternização que só tinha um gringo, Marcelo tem um dos meus empresários falava ‘because Vitão is my Gold’ E aí todo mundo deu risada e achou engraçado e a galera da Head Media, meu escritório, começou a me chamar assim na brincadeira e quando vi todo mundo tava me chamando assim. Ná época que a gente estava decidindo o nome do disco, tava todo mundo pensando e alguém falou ‘coloca Gold’. Faria até sentido, mas não tanto, porque é um nome em inglês e no disco trago ritmos brasileiros, trago a essência do Brasil a ideia do disco é realmente trazer o Brasil. Aí o Danilo, que é um dos produtores falou ‘vamos colocar Ouro, então’ e me acendeu uma luz e na hora decidi, não pensei mais em nenhum outro nome. Caiu perfeito. Depois vi que tinha que ser esse nome mesmo. Ouro é uma parada muito valiosa, muito brilhante e de muito valor, tudo que essse disco é para mim. É uma parada muito verdadeira e que fala de coisas que aconteceram na minha vida, uma parada muito brilhante e verdadeira como o ouro. E tem o sentido que depois que enxerguei, que é a parada do Ouro ser elemento do Sol, que é o elemento regente do meu signo de Leão, que é uma parada que tenho muita ligação”.

. Single “Um Pouco De Você” e o clipe

“É uma das músicas que eu fiz na semana de composição para o álbum mesmo. Acho que foi a primeira música que saiu nessa semana e logo de cara, eu tive certeza. A galera do escritório e da gravadora até tentou mudar uma época, porque essa talvez fosse a música errada e tiveram alguns impecilhos, mas eu fiquei firme nessa decisão e disse ‘essa, essa, essa’, porque acho que é a melhor música e e a que mais representa o disco musicalmente, que representa o que quero falar e o que quero mostrar com o disco. É a música perfeita para ser o primeiro single. A gravação do clipe foi super divertida. A gente foi para o Rio que é um lugar maravilhoso, um dos lugares que mais gosto do Brasil. Gosto do ambiente de lá, pelas pessoas, a natureza, o ar. É muito gostoso. A gente gravou com o Bernardo, que é no clipe o Vitinho. O Bernardo é um menino parecido comigo; moreninho, com cabelo cacheado compridão e eu conheci ele no Rio num show que ele apareceu igualzinho a mim. Eu tava com cabelo trançado e ele apareceu com o cabelo trançadinho e com um brinco igualzinho ao meu e com uma camisa abertona e falei ‘caramba você é igual a mim’ e ele começou a conversar comigo e me contou que era super meu fã e começou a aparecer em vários outros shows. Viramos amigos e ele começou a conhecer o pessoal da minha equipe e quando a gente começou a pensar na ideia do clipe, veio essa ideia de fazer o Vitão e o Vitinho e foi super divertido, super gostoso. E acho que o Rio é o lugar que mais representa o Brasil, pelo Cristo, Pão de Açúcar, as praias, o sol e é uma lugar que tem muita representatividade. A pessoa bate o olho e já sabe que é o Brasil”.

– Formato Físico de “Ouro”

“A quem fez a primeira leva agora de vinil do disco ‘Ouro’, mas que a gravadora fez só para influenciadores para o lançamento. Mas depois a gente vai fazer uma segunda leva para vender e que vai vender para todo mundo e vender em shows. A gente vai tentar reviver essa parada do disco de LP. Vamos fazer sim, para vender.

O Pocket Show

Após a imprensa conversar com Vitão, foi a hora de todos nós e convidados assistirmos ao pocket show com as principais canções do novo álbum e alguns hits anteriores.

Nem a chuva foi capaz desanimar o cantor e o seu público. Recebido com muito grito, Vitão abriu a apresentação com o primeiro single “Um Pouco De Você”, que já mostrou que é uma das faixas queridinhas da galera.

E é claro que os sucessos “Café” e e “Embrasa”, que marcaram a carreira do artista não poderiam ficar de fora dessa noite animada, mesmo não estando na track do disco. Não teve quem não cantasse com ele, como se não houvesse o amanhã.

A galera também foi ao delírio com a participação no pocket da mega talentosa Day, na faixa “Maturidade”. Podemos ver de perto como esta canção tem força e será um grande hit. Outra música que levantou a galera foi a canção “Saudade” que é simplesmente incrível.

Hodari também participou da apresentação com toda sua simpatia e seu talento na faixa “Tratamento Perfeito”. Foi muito bonito sentir exalar a cumplicidade e a amizade dos dois artistas. E todo mundo cantou junto com o single “Complicado” que originalmente foi gravado pelo cantor ao lado de Anitta. Foi lindo ver a troca de energia entre artistas e público.

Para finalizar, Vitão chamou ao palco o cantor Gaab te emprestou todo seu gogó para “Alô”, uma canção envolvente e com letra muito bem escrita. Não teve como não lembrar de Luccas Carlos, que gravou a faixa com os dois no álbum e que não pode estar na apresentação.

Uma das coisas mais legais do show do Vitão é a troca entre ele e todos que o estão assistindo. Sua Música une todo mundo e toca o coração de quem ouve, além de trazer muita alegria.

Vitão além de carismático, canta muito bem e o mais incrível é que ele consegue cantar versos bem rápidos sem perder o fôlego e afinação.

Nesse pocket show consegui constatar que o álbum “Ouro” será um grande sucesso e levará o nome do cantor muito mais além. Vitão simplesmente arrasa!