Texto e Fotos de André Rossanez

Na quinta, dia 23 de Janeiro aconteceu em São Paulo a coletiva de imprensa do lançamento do álbum “Piseiro, Churrasco e Paredão” no Espetto Carioca.

A cantora contou detalhes do seu novo trabalho, falou sobre a mulher no Forró, sobre seus fãs, expectativas e as novas canções.

Após a conversa com a imprensa Márcia Fellipe fez um animado pocket show para apresentar as principais canções do novo disco. Saiba tudo o que ela revelou.

– Inspiração Pro Álbum

“A nossa nova inspiração é o Piseiro, que como se diz na linguagem atual, é o auge da turma que curte o nosso Forró que curte o nosso estilo musical. E os meninos são minhas novas inspirações, que são Os Barões da Pisadinha, Zeca Bota Bom, Zé Vaqueiro e Vitor Fernandes. Nós juntamos essa turma em um ambiente bem bacana, um ambiente externo. Geralmente nós unimos nossos amigos em um Deck, uma coisa assim mais aconchegante. Tentamos fazer essa junção e postar, gravar um álbum para vocês curtirem em casa também e sentirem a mesma sensação de estar em um churrasco com os amigos, com música e alto astral”.

– Escolha De Repertório

“Graças à Deus, a música é ilimitada, então tem a junção de vários compositores do nosso país. Rola uma seleção extensa e a gente faz uma peneira e uma seleção das que mais gostamos, e a gente senta e chega à um acordo. Assim a gente vai fazendo a seleção de repertório do álbum. Tentamos colocar um pouco de tudo com muito amor. Tem a ‘Status’ que é uma história de um relacionamento fora, tem “A Culpa É Do Amor” que é de um casal que se separou, mas alguém continua amando sozinho. Tem um bocado de sofrência. Tem “O Piseiro Estourou”, que é a junção de todos cantando juntos e que acho muito bacana e ficou com uma energia alto astral total. Tem vários temas. A gente sempre busca falar com diferentes linguagens em nossos projetos e nesse não ia ser diferente”.

– Carnaval

“Nós vamos participar no Carnaval de vários movimentos que são muito expressivos em cada região. Vamos estar no camarote de Salvador, estar com os paraenses, com os cearenses, com os paraibanos e com os nortistas. Cada região tem uma festa muito expressiva e vamos participar de todas essas. E a nossa música do Carnaval 2020 é a Tudo OK”.

– Possíveis Críticas

“Na vida tudo que nós vamos fazer, temos que estar conscientes que vai sofrer alguma crítica e que você não vai agradar todo mundo. E na música não é diferente, aliás quem dera fosse tão fácil assim tudo. Mas com certeza a gente sofre um pouco de rejeição. Se bem que até agora, graças a Deus, tá tudo certinho, todo mundo curtindo muito. No Show, o auge é quando toca o Piseiro, que veio somar e agregar. No show ao vivo tentamos fazer de tudo um pouco pro nosso público que nos acompanha. Sempre procuro fazer participações musicais de vários gêneros com todos os artistas. Antes não tinha esse lance de ter uma junção, cada artista vinha com sua música própria e massificar aquela identidade. Mas hoje, graças a Deus, nós temos a oportunidade de livremente juntar o trabalho com outro artista, e acho isso muito válido. É muito bacana você poder mostrar seu trabalho para um outro público, ver uma outra direção”.

– Empoderamento Feminino

“É válido tudo que não vá agregar preconceito, tudo que traga leveza e aceitação. Nós precisamos amar um ao outro e não nos cabe julgar. E creio que o empoderamento também quer atingir isso, a leveza e aceitação. Sou mulher e tenho minha opinião e posso também expressar, porque quem nos permitiu foi aquele lá de cima, que é o único que tem o direito de nos julgar e não nos julga, e nos ama da maneira como somos. Creio que todos nós buscamos isso. Do empoderamento feminino sou total a favor, desde que seja saudável independente da escolha e do rótulo que a nossa sociedade venha escolher. Pra mim tem que ser saudável, vir para agregar e somar”.

– Mulher No Forró

“No Forró muitos não acreditavam nas mulheres e que elas fariam sucesso e que Forró era pro homem. Na minha opinião a música universal. Música sendo boa e caindo no seu gosto, independente de quem esteja cantando, de gênero feminino ou masculino. Acredito nisso. Vou seguindo em frente e hoje no nosso segmento, somos algumas das cantoras que continuam trabalhando e o trabalho continua seguindo com uma boa aceitação, um bom público”.

– Relação Com Os Fãs

“Tento ser o mais próxima possível, porque na verdade eles são parceiros. Sem eles não há o artista. Sem o público não há essa extensão do trabalho e não há respostas e como reunir vocês aqui e contar uma história. Eles nos ajudam a construir toda essa história. É o fã que acompanha e que está ali torcendo e sem a gente pedir, tá levando detalhes. Eu pelo menos escuto muito, ‘comecei a gostar da sua música, porque minha vizinha não parava de te ouvir’, ‘comecei a aprender e quando dei por mim estava cantando as músicas também’. Sem eles não há essa caminhada completa”.

– Cobrança Pós Hit “Deus Me Livre, Mas Quem Me Dera”

“Quanto mais o artista trouxer hits, como chamamos hoje, quanto mais o artista foi bem sucedido com suas músicas, e mais identidade trouxer, maior será a responsabilidade, porque fica todo mundo esperando outro acerto. Então naturalmente há uma cobrança. Estamos aqui torcendo para que vocês amem outras músicas desse novo álbum “Piseiro, Churrasco e Paredão”. E música para mim é uma aposta”.

Imagens do Pocket Show:

Eu com Márcia Fellipe pós coletiva

Trecho da apresentação (“Te Amar Foi Bom”)