Entrevista e Texto por André Rossanez

Uma das maiores revelações do Pagode, Guga Nandes lança pela Universal Music o seu primeiro álbum “Pra Não Desgrudar – Vol.1” gravado Ao Vivo no Rio de Janeiro com as participações de Mumuzinho, Vitão, Suel e Gabily.

A direção deste novo DVD foi de Júlio Loureiro (conhecido por trabalhar em DVDs de Dilsinho, Ludmilla, Matheus & Kauan, Léo Santana) e teve a produção de Lelê e Bruno Cardoso – do Sorriso Maroto. Já está no ar no canal do cantor no You Tube, o vídeo de “Reticências” com Suel e a cada semana um vídeo novo será lançado. E ainda este ano, teremos a segunda parte do projeto com mais quatro faixas. O Volume 1 já tem seus áudios disponíveis em todas as plataformas digitais.

O Portal Me Gusta teve o privilégio e a felicidade de entrevistar por telefone, o Guga para sabermos mais sobre seu novo projeto, carreira, fãs e Pagode. Fique por dentro de tudo o que conversamos neste bate papo tão bacana.

Portal Me Gusta: Como surgiu a música na sua vida?

Guga Nandes: A música sempre fez parte da minha vida. Minha família é repleta de músicos, digamos assim. Vem desde a minha vó, mãe do meu pai que cantava e meu pai também tem o dom pra cantar e tocar vários instrumentos, porém no decorrer da vida não seguiu a profissão, a carreira, mas tinha o mesmo sonho do qual estou vivendo. Minha mãe também tem um certo dom em cantar tem e meu irmão tocava. Então a música orgânica. sempre fez parte, desde criança.

Me Gusta: Como é seu processo de composição e suas inspirações?

Guga: A composição pra mim é muito orgânica, não uma coisa mecânica. Primeiro eu tenho que ter uma coisa dentro de mim, que quer sair pra fora. Algum sentimento, algum pensamento, algo que inventei do meu coração e eu pego o violão e começo a compor. Eu só componho dessa forma, assim. As vezes as pessoas até me pedem música. E eu não tenho muitas músicas por isso, porque não tenho o hábito de compor sem ser assim.

Me Gusta: Como surgiu a canção “Reticências” e a participação do Suel?

Guga: Essa foi uma das primeiras músicas que escolhi pro projeto e eles mostraram essa canção pra mim e estava até focada pra outro projeto e aí briguei por ela por, porque eu queria essa música, pois é uma canção que desde o primeiro momento me tocou e o Suel se encaixou perfeitamente nela, por ele ser um cantor romântio também e um cara que sou fã e admiro e eu fiquei muito feliz com o resultado.

Me Gusta: Como foi escolher o repertório do projeto “Pra Não Desgrudar” e quais músicas iriam na primeira parte?

Guga: A escolha de um repertório, ainda mais pra um DVD é sempre difícil, pra escolher foi bem complicado. Mas graças a Lelê e Bruno (produtores) que me ajudaram bastante na escolha de repertório, todas as músicas se encaixaram perfeitamente. A escolha pro volume 1 foi uma espécie de estratégia, foram selecionadas, inclusive com as quatro participações, pra mostrar pro Brasil e pro mercado justamente quem é o Guga Nandes em todas as formas. E o volume 2, vem como um presente pro público. É um suspense…

Me Gusta: Como foi pra você gravar o projeto “Pra Não Desgrudar” e as canções?

Guga: Foi muito legal. A produção do DVD está linda, o cenário. Foi tudo mais além do que eu sonhava e cheguei a me emocionar no dia. Foi uma experiência muito legal e bacana pra mim.

Me Gusta: O projeto conta com as participações do Vitão e da Gabily, que são artistas com maior inspiração no Pop. Como foi gravar com eles?

Guga: Foi uma experiência incrível e a música pra mim cabe todos os estilos e todos os gêneros e rocuro pegar cada estilo e gênero e trazer pro meu som, por isso que eu sou uma pessoa muito eclética apesar de o Pagode fazer mais parte de mim. E ter Vitão que é um cara que sou muito fã e a Gabily que é uma pessoa que admiro e tem muito talento na forma como canta e dança, ajuda a mostrar quem é o Guga Nandes e essa mistura toda.

Me Gusta: Você já teve canções gravadas por artistas como Arlindinho, Ferrugem e Dilsinho. Como é a sensação de ouvir suas canções nas vozes de artistas tão incríveis?

Guga: É uma sensação indescritível. Eu quando componho, realmente coloco todo o meu sentimento e toda minha verdade e ver os artistas que admiro, sou fã e adoro do trabalho, gravarem uma canção minha ou estarem comigo numa canção minha é o máximo.

Me Gusta: A Universal Music teve a iniciativa de fazer o Festival Música Em Casa, onde os cantores se apresentam em lives pelo Istagram, devido a pandemia de Corona Vírus e assim incentivar que as pessoas fiquem em casa e com arte e entretenimento. Como é para você fazer parte deste projeto diferente e tão importante nesse momento de resguardo social?

Guga: A primeira vez que me falaram desse projeto e me convidaram, eu aceitei de cara porque achei uma iniciativa e um projeto incríveis. Sinto que levar a arte pras pessoas e aquilo que a gente gosta de fazer, neste momento tão difícil e do qual estamos nos adaptando, faz com que as pessoas se sintam um pouco mais leves, diante dessa situação em que estamos vivendo.

Me Gusta: Como é sua relação com seus fãs?

Guga: A minha relação com meus fãs é sempre incrível. Eu adoro quando eles me marcam ou compartilham minhas publicações e até mesmo quando cantam minhas músicas e gravam e me mandam. Sou muito grato por eles. Sem eles eu não seria o Guga Nandes.

Me Gusta: Como você vê o Pagode hoje no cenário musical brasileiro?

Guga: O Pagode atualmente tem crescido, já tem uns três a quatro anos e ele estava menos evidente. Vem crescendo de uma forma inexplicável. Essa galera da nova geração como o Dilsinho que teve a música mais tocada do ano passado, e foi um fato que confirma essa situação. Pra nós que estamos começando é ótimo. Isso abre as portas pra nova geração que vem chegando agora.