Lançado pela Universal Music, o tão aguardado terceiro álbum de Sam Smith, “Love Goes” já está entre nós. Um disco pessoal que de forma leve, reflete o atual momento do cantor como pessoa e artista. Alguém que se aceita mais do que nunca, com todas suas características. Pra produzir o disco, Smith se juntou a grandes nomes como teve Mac, Shellback/MXM, Labrinth, Stargate, o amigo pessoal Guy Lawrence e Jimmy Napes.

Segundo Sam, “Os últimos dois anos foram o momento mais experimental da minha vida, pessoalmente, mas também musicalmente. Toda vez que eu entrei no estúdio, prometi a mim mesmo que iria mirar as estrelas e não ter limitações. O resultado foi tão mágico, tão terapêutico e divertido. Meu amor pela música é muito amplo e todos os meus pecados musicais se tornaram apenas prazeres. Sem culpa, sem vergonha, apenas o amor por cantar, criar e dançar. Eu sou muito grato por todos que abraçaram a minha criatividade e direção e me permitiram ser quem eu quisesse ser em cada dia no estúdio”.

O artista também tem um recado pros fãs que vão ouvir esse novo trabalho: “Escutem essas músicas com o coração aberto, tratem cada canção como uma flor diferente de um jardim e divirtam-se com elas. Eu tentei não me levar tão a sério quando escrevia algumas dessas faixas. Espero que elas te façam sorrir, porque me fizeram e me fazem sorrir”.

Capa de “Love Goes”

Bem R&B e com a voz levemente sussurrada e agudos um pouco mais contidos, Sam abre o álbum com “Young”, mostrando seu potencial vocal mais uma vez. Uma música de autoaceitação de quem se é e principalmente sem medos de julgamento. Uma boa amostra do que esperar deste novo projeto tão pessoal do cantor.

E como não se apaixonar mais uma vez com o single “Diamonds”? Realmente uma das melhores, não só do disco, mas também da carreira de Sam. Um tema de ritmo animado, envolvente e encantador, que conta uma história de amor vivida sem arrependimentos.

Elementos eletrônicos aparecem como complemento aos agudos do cantor, resultando em uma pegada alto astral e envolvente, na faixa “Another One”. Envolvente também, é a colaboração de Burna Boy em “My Oasis”. Incrível como as vozes destes dois grandes artistas combinam muito, justamente pelo contraste de uma voz mais grave que a outra.

Até música com alto potencial pras pistas de dança tem o novo disco. “Dance (Til You Love Someone Else)” tem elementos de Disco da década de 1970 que ganham um aspecto mais modernos com batidas eletrônicas bem compassadas. Realmente é impossível ficar parado com esta música que nos deixa mais leves.

Destaques pra emocionante “For The Lover That I Lost” que com piano e cordas, traz uma atmosfera mais intimista e pra “Breaking Hearts” que nos arrepia com seu arranjo levemente gospel. Dando nome ao álbum, a sensível “Love Goes” começa com um lindo solo de piano e já de cara conquista a gente. Complementada com os belos vocais de Labrinth, a voz de Sam ganha nuances delicadas durante a música e nos arrepia. Um verdadeiro hino de amor, com um toque de Soul Music.

E claro que não poderiam ficar de fora duas grandes participações de cantoras pop que tanto o mundo adora. Normani com sua potente voz, faz uma dupla e tanto com Sam na poderosa “Dancing With A Stranger”, um Pop Dance e tanto, com toque de Disco. E como não amar “I’m Ready”? Com Demi Lovato, que dá todo um toque especial, a faixa é bem Pop e moderna, inspirada na descoberta de Sam como do gênero não-binário e que nos inspira a enfrentar de cabeça erguida e com esperança qualquer obstáculo que apareça em nossas vidas.

E Sam trouxe simplesmente um dos DJs e produtores mais talentosos e aclamados do mundo, Calvin Harris em “Promises”, sobre as aventuras e mágicas que a noite dá aos amantes. Impossível não querer dançar e muito com este tema contagiante feito pras pistas de dança com o melhor da Música Eletrônica atual. Destaque também pro hit “To Die For”, que antes foi cotada pra dar nome ao disco. Uma música emocionante pra todos os corações solitários, como o cantor mesmo diz. Além disso é uma delícia ouvir a voz de Sam com agudos dados na hora certa e sem exageros, que fin

Ao ouvir o novo disco de Sam Smith, que já declarou que se sente muito orgulhoso deste novo projeto, sentimos exatamente o que ele diz “Realmente me libertei nos últimos dois anos enquanto escrevia estas músicas”. Além de liberdade, sentimos contagiados e envolvidos com cada uma das 17 faixas, que conversam entre si e se complementam muito bem.

Um disco muito maduro que mostra toda a habilidade vocal de Sam Smith, que se reinventou trazendo em diversas canções, elementos eletrônicos pra sua sonoridade Pop com R&B e Soul. Um trabalho primoroso e apaixonante, que sem dúvida, faz cada fã do artista se sentir orgulhoso dele e representado.

Um do melhores álbuns lançados em 2020 e que mostra um Sam Smith mais maduro, mais seguro e ainda mais talentoso. Realmente ele se jogou por completo em sua obra e trouxe músicas marcantes e muito bem produzidas em seus arranjos e letras e que chegaram pra conquistar muito o coração de todos que ouvirem o belo “Love Goes”.