Ariana Grande lança o seu tão aguardado sexto disco “Positions”, que já estreou em primeiro lugar dos charts do iTunes em países como Brasil, EUA, Colômbia, Chile, Austrália e Bélgica, bem como mais de 56 milhões de streams em 24 horas, no Spotify mundial.

O novo projeto, lançado pela Univesal Music, chamou atenção da crítica e do público, pela temática sexual em diversas faixas, de uma forma mais explícita. Inclusive, no álbum passado a temática também apareceu, mas de um jeito um pouco mais contido. Além disso na sonoridade, Ariana mistura bastante seu Pop com o Trap, além de trazer alguns arranjos mais digamos, orquestrados.

Para abrir o disco foi escolhida “Shut Up” com uma pegada R&B, acordes que lembram musicais ao final e cheia de vocais com melismas que ajudam a dar intensidade à faixa, e mostram toda a técnica da cantora.

Capa de “Positions”

Uma das gratas surpresas do disco é, sem dúvida, “34+35” que faz em seu título, menção a uma posição sexual, bem como possui uma letra mais safadinha e bem direta. Destaque pros backing vocals que fazem um interessante jogo de vozes junto à voz da artista. É muito bom ver uma cantora sendo livre e falando sobre sexo sem pudor, e principalmente, sem medo. Inspiração de empoderamento pras mulheres do mundo.

O disco de nossa diva pop tem algumas participações especias que dão realmente um toque bem especial ao som de Ariana. Trazendo bastante Trap, Doja Cat traz mais ritmo a esta canção animada com batidas mais aceleradas que nos empolga demais. E como não amar a parceria da cantora com o grupo The Weeknd em “Off The Table”? Bem R&B e com influência de Hip Hop romântico, genialmente a faixa começa mais grave e enigmática e depois se transforma em algo mais sexy. Pra terminar os feats, o raper Ty Dolla $ing chega com tudo em “Safety Net”, com uma pegada urbana e arranjo envolvente. A voz do cantor é linda e nessa faixa ele canta mais puxado pro R&B, mostrando uma faceta que muitos não conhecem. E o melhor, as vozes dos dois se casam muito bem.

Bem gostosa de ouvir, “Six Thirty” acalma nossos corações com romântismo e a voz de Ariana mais suave e agudos mais finos e contidos pra falar do medo de se entregar em uma relação. Sintetizadores e instrumentos de sopro dão um clima bem envolvente e empoderado à “Hair”, que vem acompanhada de agudos à la Mariah Carey, muito bem executados e precisos por Ariana.

Fotos: Dave Meyers

Destaques pra “West Side” que é realmente um R&B bem raiz e fala sobre estar reparada pra uma relação, “Love Language” que lembra bem Ariana no começo de carreira e mistura Pop com um pouco de Soul Pop do anos 60 e a confessional “Pov” que encanta pelas mudanças de andamento e do timbre no vocal de Ariana, que usa muito bem sua voz como ninguém.

Outro destaque é o hit “Positions” que dá titulo ao álbum e com certeza, é uma das melhores, ou até mesmo a melhor do disco (junto à “Pov”). Uma canção sobre um amor que nos leva a assumir vários papéis diferentes e que segundo os ‘fofoquieros de plantão’, é sobre o atual namorado dela, Dalton Gomez.

Fotos: Dave Meyers

No novo disco, mais uma vez Ariana Grande mostra que é uma grande cantora e uma das melhores da nova geração. E vemos inclusive, uma maturidade artística e vocal. Mais do que nunca a cantora controla sua voz potente com muita sabedoria e talento. Seus agudos soam mais naturais e na medida certa, do que antes. O que era bom, ficou ainda melhor. Além disso, quando ela usa graves, também é muito bem executado e confortável de ouvir.

Quanto à sonoridade, Ariana fez muito bem misturar um pouco de Hip Hop e Trap durante o disco. Trouxe um frescor e um ar de novidade em sua música, renovando assim seu estilo Pop com pegadas de R&B, que ficou neste álbum mais maduro. Um grande acerto de Ariana Grande, que sem dúvidas, vai tocar muito nas casas de todo mundo, seja em mídia digital ou física.

Fotos: Dave Meyers