A DJ e produtora Bárbara Labres e o cantor Mc Don Juan lançam sua primeira parecia, o single “Festinha Particular”, no qual ela canta pela primeira vez.

A música chega pra fazer todo mundo dançar ao som do Funk Rave. Os dois artistas muito talentosos, simpáticos e inspiradores reuniram a imprensa para uma coletiva online via aplicativo Zoom, para falar sobre lançamento, carreira e projetos futuros.

Mc Don Juan e Bárbara Labres durante a coletiva

Confira o que Bárbara e Don Juan contaram e conheça melhor estes grandes talentos do Brasil.

Single “Festinha Particular”

Bárbara contou o processo de composição e parceria com o Mc. “Essa música já tinha uma parte pronta que era composição do Mc Menor, do Victor e do Rodrigo. Aí quando eu falei fazer a música eu disse ‘vamos chamar o Don para lançar uma música?’ e eles falaram ‘a gente já tá com uma música que é muito hit e tá quase pronta. Só falta escrever e mexer no beat dela’. Eles me mostraram e eu falei ‘nossa, é essa a música’. A gente chamou o dom e ele chegou no estúdio e a gente mostrou para ele, ele pirou e falou ‘vamos dançar essa música essa música, a gente não pode perder’. A gente tinha mexido nela em pouca coisa e a lançar do jeito que ela tava”.

E ela completou, “Faltava três semanas pro lançamento e ela era um Brega Funk. Como a galera ficou me conhecendo muito por causa de ‘Hoje É Rave’ e a galera tava esperando muito de mim um Funk Rave, eu achei que precisava transformar ela em um Funk Rave. Fui para o estúdio e escrevi minha parte. Antes eu não cantava e agora comecei a cantar na música na parte em que escrevi. A gente mexeu no beat dela e o que era Brega eu transformei um Rave”.

A cantora falou também que queria trazer alegria para seu público. “A gente tentou fazer uma música animada, sem ser tão suja para poder tocar em vários lugares e tudo mais, e poder atingir crianças e todo tipo de público. a gente achou que para fazer uma música animada e um hit não precisava ter palavrão. A gente fez uma música light e para cima”, contou ela.

Parecia Barbara e Don Juan

A parceria entre os dois cantores se deu de forma natural. Ele seguiu nas redes sociais há uns quatro anos e ela sempre tocou as músicas dele em seus shows como DJ, até que um dia ela o marcou numa rede e depois ele a seguiu por lá e a partir daí os dois começaram acompanhar um o trabalho do outro.

Bárbara lembra, “A gente já trocava ideias várias vezes e ele falava ‘vamos fazer uma música’, mas ficava assim. Surgiu a oportunidade de eu estar no estúdio e coincidiu de eu chamar ele, e ele estar de boa e poder ir para o estúdio gravar. Foi uma parada muito natural, era pra ser”.

A parceria surgiu também um momento importante na carreira da artista. Segundo ela, “Eu tava precisando de um feat, porque tô lançando uma música por mês. Chamei o Don e ele era uma pessoa que eu queria gravar já e ele estava estourando com muitas músicas e é um artista que está muito em ascensão”.

Sobre cantar com Labres, Don Juan revelou “Foi uma satisfação. essa música foi um presente que ela já chegou com tudo pronto e eu só coloquei a voz. Foi uma satisfação”. Ele ainda adiantou que já tem outros feats engatados, porém ainda era um segredo quais seriam.

Don ficou muito feliz de poder gravar um Funk Rave e até dançar no clipe. “Fiquei feliz e era um bagulho que eu já queria fazer. Tinha vontade de fazer uma parada assim, mas acho que se eu tivesse feito sozinho, o pessoal não teria aceitado tanto”.

Mudança De Nome

A princípio a música se chamaria “Pegada Violenta”. Após acontecer o episódio de assédio sexual contra Mari Ferrer, Bárbara e Don Juan em respeito e solidariedade estarão por fazer a mudança no nome.

Bárbara explicou o que os levaram a esta decisão. “Isso foi uma parada que mexeu muito comigo, porque desde o início eu disse que o nome da música deveria ser ‘Pegada Violenta’ por causa do beat, porque era um Funk Rave e nunca que passou pela minha cabeça o ‘violenta’ ter um outro sentido. Eu estava em Gramado com minha família almoçando e já tinha visto a parada da Mari. Até twitei no Twitter, porque a gente que é mulher acaba se sensibilizando e sente, porque a gente sabe o quanto é difícil ser mulher e tudo mais. Eu Tava almoçando e contando para minha mãe a história e aí me deu um estalo de que a minha música não pode chamar ‘Pegada Violenta’, porque quem não escutou a música ainda vai achar que é uma pegada violenta de pegar outra pessoa com violência. Eu já tinha escutado a música e sabia o significado, mas quem não escutou não entenderia. Como isso tudo tava rodando nas redes sociais, era capaz da galera dar um sentido pra minha música que não tem. Não é isso que eu e o Don queremos passar. E Don como homem, também lançar uma música que chama ‘Pegada Violenta’ pode ser muito ruim para ele”.

Ela contou também como foi escolhido o novo título do novo hit. “E que nome a gente ia colocar? ‘Pegada Violenta’ é o que mais marca na música. E o que mais se fala na música e que eu achava que seria um nome legal era ‘Festinha Particular’. Aí a gente resolveu por esse nome”.

Bárbara conto uma curiosidade. O irmão dela de 9 anos l, quando soube da mudança questionou o porque ela tinha alterado o nome que ele achava tão legal E então ela explicou para ele, de maneira que ele pudesse entender. Bárbara ressaltou que no fim, foi muito importante essa conversa com o irmão, porque assim ela pôde explicar para ele uma visão que ele já ia crescer tendo na cabeça e entendendo.

Parcerias de Mc Don Juan

O Mc, já gravou com grandes artistas além da Bárbara. Ele contou que fica muito feliz de poder ter gravado com esses artistas que ele tanto adora e que ele só faz feats com artistas que admira.

Ele também reforçou que fazer parcerias durante o isolamento social foi muito importante, pois pôde aproveitar que tinha mais tempo de fazer as músicas e assim juntar forças com mais artistas e junto com eles se reinventar. Uma maneira também de continuar ativo e conectado com quem se gosta.

Mc Don Juan também falou da importância de ter gravado com artistas de outros gêneros musicais. “É desafio pra mim, porque eu gosto de música. No dia a dia escuto de tudo, sempre escutei de tudo. E agora me arriscando a cantar outras paradas, é onde estou me desafiando e testando a mim mesmo. É uma parada que tá sendo muito boa pra mim. Eu tô ganhando outro tipo de público. Eu tô entrando no meu Instagram pra ver quem tá me seguindo e tem muita criancinha e também um pessoal mais velho. Tá sendo muito bom pra minha carreira”.

Próximos Passos e Feats de Bárbara

Bárbara contou que gosta de todos os estilos musicais, mas tem focado no Funk, pois por mais que ela goste muito de outros estilos, ela vem percebendo que o público dela gosta mais de Funk e de canções para dançar e zoar. Além disso é muito bom para ela ter músicas animadas quando voltar a fazer shows.

A artista conta que logo virão músicas com participações de Tainá Costa e Mila, além de outras faixas engatilhadas. Depois de um tempo convidando artistas para gravar com ela, agora começaram a aparecer convites de artistas para ela participar das músicas deles.

“Tô muito feliz porque muitos artistas estão me chamando pra fazer feat. É uma parada, que eu comecei a chamar todo mundo e agora muita gente está chegando em mim e isso eu queria também. As pessoas me chamarem é muito bom, porque consigo lançar minhas músicas e lançara músicas com os outros. Assim eu tenho muito mais lançamentos”.

Mc Don Juan e Bárbara Labres durante a coletiva

Mulher DJ e Produtora Musical

Bárbara Labres contou um pouco sobre a importância de ser uma mulher DJ que tem sua arte reconhecida. “É muito ‘da hora’, porque quando comecei a tocar a 9 anos atrás nem tinha mulher DJ e eu não tinha estrutura para fazer música. Era algo distante fazer música, ainda mais com artistas que eu admiro muito. Quando comecei não tinha grana, então nunca pensava que chegaria tão longe”.

Segundo a artista é muito bom saber que ela inspira tantas mulheres a serem DJ, cantoras e também artistas mais completas.

Ela também falou da importância de além de ser DJ começar a produzir canções. “Foi um passo muito grande, porque eu já fazia shows grandes e as pessoas já me viam como uma artista grande, mesmo sabendo que eu não tinha músicas minhas. Faltava isso para eu me valorizar mais como artista”.

Ela revelou também que antes de produzir suas músicas, ela tinha dificuldade em acertar cachês na hora de vender seu shows, justamente para não ter músicas próprias. Quando começou a produzir, ela tinha um pouco de medo, pois era um universo novo que ela não sabia como funcionava. “Estou aprendendo bastante e tem um resultado muito bom com feedbacks positivos”.