Mais uma cantora incrível chega para conquistar todo mundo com sua linda voz e sua música. Nanda Cid acaba de lançar o seu single de estreia “Sobrenatural”.

O single produzido por Filipe Soares e Celso Filho faz parte do primeiro EP de Nanda.

A cantora também é formada em Direito, já fez teatro e cantou em bandas e recitais. Seu talento a levou a estudar no conservatório de teatro musical da New York Film Academy, após conquistar uma bolsa de estudos.

O Portal Me Gusta teve a felicidade de entrevistar Nanda Cid. Ela falou sobre carreira, música nova, EP e próximos passos.

Saiba tudo que ela contou na íntegra e conheça melhor esta cantora tão talentosa e que vale tanto a pena conhecer e ouvir.

Portal Me Gusta: Como surgiu seu amor pela música?

Manda Cid: Não tenho músicos na família, mas meus pais gostavam muito de cantar e sempre me estimularam nesse sentido. Pequenininha eu sabia de cor a letra de todas as músicas que tocavam no rádio e ligava o videokê na sala de casa em dias normais pra brincar sozinha. Era o meu videogame! Fazia aulas de piano, mas achava a didática da época um pouco entediante pra crianças. Até o dia em que meu professor trouxe uma partitura de “Love me Tender” do Elvis Presley, e disse: “essa é pra você tocar e cantar”. Foi assustador, mas pela primeira vez eu me senti completamente envolvida numa música e me apaixonei pela sensação.

Me Gusta: Como se dá seu processo de composição e suas inspirações?

Nanda: As ideias normalmente vêm quando estou envolvida fazendo outra coisa. Acontece muito quando estou dirigindo, por exemplo. Acho que nesses momentos, como o cérebro já está ocupado, não tem muito espaço pra autocrítica. Acabo conseguindo me expressar com maior liberdade. Crio um trechinho dirigindo e quando chego em casa me concentro pra construir o restante da música. Mas o contrário também funciona: quando começo uma música e empaco, pegar o carro me ajuda a encontrar a peça que falta pra fechar! Também adoro fazer parcerias com outros compositores.

Me Gusta: Como surgiu o single “Sobrenatural” e como foi gravar o clipe?

Nanda: Sobrenatural foi uma proposta da Tállia, e eu imediatamente me identifiquei com o tema. Já tinha passado por um relacionamento abusivo, onde havia muita manipulação e muita carência disfarçadas de paixão. Sobrenatural pra mim é sobre ilusões e desilusões. Quis usar a dança contemporânea no clipe porque pra mim ela fala muito sobre o que é visceral, aquilo que fazemos não porque pensamos, mas porque somos levados por um sentimento que nos domina.

Capa do single “Sobrenatural”

Me Gusta: Como foi escolher o repertório do novo EP?

Nanda: Eu queria músicas que representassem os diversos traços da minha personalidade, mas que ao mesmo tempo conversassem entre si. Tive dúvidas, mas no final conseguimos costurar tudo em termos de narrativa e arranjo.

Me Gusta: Você se formou em direito. De alguma forma essa formação ajuda na carreira artística?

Nanda: Com certeza. Acho que sou bastante pé no chão e precavida por conta disso. Graças a Deus estou cercada de pessoas boas, e mesmo que surjam outras, tenho a segurança de que meus olhos estão sempre bem abertos e que é difícil alguém me passar a perna! (risos)

Me Gusta: Dentro do que pode adiantar, quais os próximos passos da carreira? Há planos pós quarentena?

Nanda: Já estou trabalhando no próximo clipe que será lançado em breve, junto com o segundo single. Meus planos são movimentar minhas redes sociais com conteúdo cada vez mais interessante, dando voz não apenas às músicas que eu gosto, mas também às causas que apoio. Não vejo a hora da quarentena acabar pra criar uma agenda de shows e sentir o público olho no olho. O virtual é legal, mas calor humano faz falta! (risos)