Michel Teló lança o sensível EP “Pra Ouvir No Fone”, produzido em plena quarentena, mas com canções escritas antes da pandemia, com letras mais introspectivas e que nasceram do desejo do cantor de falar um pouco das coisas simples da vida e da loucura insana que todos vivemos.

“São canções mais reflexivas, para a gente pensar um pouco sobre a vida, sobre as coisas simples que realmente importam, como tomar um café coado com um amigo, conversar à toa e entender frases clichês como: a felicidade está no caminho”, conta o artista. 

Sobre o EP, feito para ouvir com a alma e para se reconectar, Teló conta “Quero que as pessoas parem para ouvir mesmo e não que seja somente um fundo musical. Estou ansioso para mostrar um lado diferente do cantor Michel, vai ser um EP para acalentar o coração, quero que ele alcance muita gente e que todos possam pensar sobre o que vão fazer com o tempo delas quando tudo isso acabar”. O trabalho é resultado do quanto ele vem refletindo sobre a vida atribulada que vive desde os 12 anos.

Capa do EP “Pra Ouvir No Fone”

Dando uma bela amostra do que vamos encontrar no novo EP, a canção de abertura “O Tempo Não Espera”, é simplesmente linda e sobre viver a vida com intensidade e como a felicidade está nas coisas mais simples. Bela e sensível.

Dando título ao trabalho “Pra Ouvir No Fone” tem um arranjo bem Country e acústico. É quase uma oração que ressalta o poder que a música tem de acalmar. Já “Café Coado” é um belo modão sertanejo e que remete à simplicidade da vida na roça e como algo simples como tomar um café com alguém, pode fazer toda a diferença.

Duas canções são verdadeiras modas de viola atuais e resgatar a origem do cantor. “Motivos” chega com uma bela viola caipira e mensagem motivadora de superação e “Dia Nada a Ver” narra a surpresa de amor feita por um homem para sua esposa em um dia qualquer, simplesmente para demonstrar o quanto a ama com um gesto tão bonito, como o de dar flores.

Terminando o EP com uma mensagem de esperança por dias melhores, “Sonhos e Planos” é uma delicada canção e das melhores deste novo trabalho de Teló. Destaque para o arranjo com piano e violino, que combinam muito bem com a vibe da música e a voz do cantor.

Esse novo trabalho de Michel Teló que tem muita influência do que o cantor ouve, como Almir Sater e John Mayer, resgata toda a origem sertaneja do artista através de belas canções bem atuais, e que tem o espírito de canções sertanejas e clássicas mais antigas. Tudo isso sem perder a atualidade.

As músicas feitas antes da Pandemia, caíram como uma luva durante este momento de isolamento social e doença que estamos passando, e nos fazem refletir sobre a importância das coisas simples da vida e das pessoas que adoramos. Nos impulsionam a viver a vida com intensidade, todo dia como se fosse o último.

Um trabalho lindo que mostra todo o talento de Michel Teló, um artista que canta com a alma, sensibilidade e afinação, além de ser um grande compositor, responsável por escrever quase todas as músicas do EP (sozinho e com parceiros).

E Michel Teló faz uma reflexão e que resume bem a essência deste novo álbum: “A real é que ninguém sabe o que de verdade se passa na vida e no coração de cada um. Cada um mostra o que quer nas redes sociais. Não necessariamente a verdade. Esse álbum soa quase como um desabafo. Traz um pouco do Michel do interior, e do interior do Michel, sabe? Então, quem tiver a fim de sinceridade pode dar play, reflete comigo… se emociona, deixa a música tocar seu coração e compartilhe alegria com as pessoas que realmente importam para você. Não dá pra dizer que não mexeu com todos nós o que rolou no mundo esse ano né?!”.