Mesmo que sem Dulce Maria e Alfonso Herrera, a tão esperada Live do RBD com Anahí, Maite Perroni, Christopher Uckermann e Christian Chávez aconteceu e encantou a todos nós.

Os quatro se apresentaram com banda (de máscaras) diretamente dos Estados Unidos em um cenário enorme, todo em fundo verde para que fossem projetadas animações e diversos fundos durante a apresentação.

Pra começar a noite eles interpretaram o sucesso “Ser o Parecer”, já trazendo uma boa pitada de nostalgia e relembrando a coreografia, que os fãs sempre adoraram.

Destaques para “Bésame Sin Miedo” que ganhou ares mais modernos, pra “Nuestro Amor” que ganhou um arranjo onde o tão famoso solo de guitarra ficou ainda mais pesado, pro hit “Trás De Mi” que com certeza pôs todo mundo pra dançar em casa e pra nova versão de “Aun Hay Algo” que levou um pouquinho de jazz e blues, mesmo que de leve.

Cada um deles também teve o seu momento solo. Primeiro Christopher cantou a música favorita de quem vos escreve, “Inalcanzable”. Ele inclusive tocou um pouco de piano, algo que não tínhamos visto na época do RBD, assim mostrando sua versatilidade. Aproveito esse momento, para destacar a evolução musical de Uckermann. Ele realmente está cantando muito, mas muito melhor do que nunca. A evolução dele é nítida, é um outro artista comparado há 12 anos atrás.

Christian mostrou mais uma vez toda sua potência vocal e como ele tem facilidade em chegar nos agudos com um grande hit “Tu Amor”. Foi emocionante. Maite por sua vez, cantou a emblemática “Empezar Desde Cero”, que ganhou uma roupagem mais lenta com o refrão um pouco mais agitado. No fim da música, os outros três se juntaram para cantar o refrão.

Dulce Maria e Alfonso Herrera que não participaram da reunião musical, foram homenageados em alto estilo. Enquanto, diversas imagens dos dois artistas nos shows e bastidores do grupo apareciam ao fundo, o quarteto cantou uma das músicas mais inspiradoras da banda, “No Pares” que nos lembra nunca desistirmos dos nossos sonhos e de que tudo é possível quando queremos e batalhamos por isso.

E claro, os fãs também foram homenageados. Enquanto diversas imagens de fãs do mundo inteiro passavam ao fundo, Anahí, Christian, Christopher e Maite interpretaram “Siempre He Estado Aquí”, a nova música que foi lançada agora em 2020. O momento lindo onde eles cantaram bem agarradinhos uns aos outros. Foi lindo.

Como já podíamos imaginar, Anahí interpretou o hino do RBD, “Salvame”, uma música que até aqueles que não conhecem direito a banda, já ouviram. Foi de arrepiar o novo arranjo sensível emocionante, com orquestra de instrumentos de corda que cairam como uma luva.

Para terminar a noite, não podia ser outra música que não “Rebelde”. Talvez o momento mais nostálgico da noite, onde eles vestiram roupas vermelhas que são as cores oficiais do RBD e com inspiração em soldados de chumbo. Anahí até usou uma estrela na testa, como ela fazia nos primeiros anos de banda. E claro, teve o famoso “Tô Digo R, Tu Doces BD, RBD, RBD!”. Tenho certeza que assim como eu, todos de casa gritaram RBD em alto e bom som.

A Live “Ser O Parecer – The Global Virtual Union” foi um evento lindo, emocionante, cheio de nostalgia e com muito amor. Foi incrível ver como depois de 12 anos sem se apresentarem juntos, eles ainda tem muita química e cumplicidade entre eles. Percebemos no vídeo o quanto eles se amam e como se sentem bem juntos.

Vocalmente todos eles evoluíram demais. Anahí está mais segura ao cantar tons mais altos, Christian brinca com mais facilidade ainda com sua voz, Maite está com a voz ainda mais potente e bela e Christopher com certeza é o que mais surpreendeu. Vocalmente falando, dos quatro ele era, digamos o mais fraco e vemos como ele deu uma turbinada como cantor e sabe agora controlar muito bem sua voz e suas nuances.

Algo que sempre me chamou atenção no RBD foi que a banda tinha duas percussões. E foi sensacional ver que nesta Live eles mantiveram isso, o que dá e sempre deu uma força ainda maior pras músicas deles. E assim como antes eles também destacaram bastante a guitarra, uma outra marca das canções do grupo.

Outro ponto forte foi a divisão das vozes. O mais óbvio era que eles dividissem as partes que eram de Dulce é Alfonso entre os quatro. Mas foi bem mais do que isso. Além de redistribuir as vozes nas partes que eram dos dois, foram feitas algumas mudanças entre as partes que eram dos quatro e de forma muito bem pensada e sem mudar demais. Foi incrível!

Seja como sexteto ou como quarteto, RBD é sempre RBD. O maior fenômeno latino de todos os tempos e que, mesmo 12 anos após o término, tem muita força e muito prestígio entre o público que consome Música Latina e que ganhou até fãs que nasceram pós término da banda em 2008.