Além de nos presentear com sua arte e sua música, o talentoso Gabriel Elias lançou no começo de Março, uma coleção de roupas inspiradas nas canções de seu álbum “Música Pra Curar Brasileira”, pela Solar Clothing.

O cantor também está prestes a lançar em 12 de Março, a versão deluxe do álbum que vem fazendo muito sucesso. A nova edição do disco, trará novas roupagens para algumas músicas, puxadas pra Música Eletrônica.

O Portal Me Gusta teve a felicidade e o privilégio de entrevistar Gabriel Elias que revelou detalhes sobre a criação das peças de sua coleção, repercussão de seu disco e o que esperarmos da deluxe.

Foto: Victor Costa

Fique por dentro de tudo que ele nos contou, na íntegra

Portal Me Gusta: Como.surgiu a ideia de lançar uma coleção de roupas?

Gabriel Elias: A ideia de criar essa marca, na real, foi porque a gente tinha há muito tempo, perdidos de um merch, aquela loja com produtos da banda e a respeito das músicas. Mas quando eu pensava nisso, queria ter um merch mais com qualidade de uma marca e a coisa se alinhou alí. E tem uma curiosidade, eu não imaginava as pessoas usando a camiseta escrito ‘Gabriel Elias’ assim, por mais que fossem os fãs e tal. Achei talvez que ficasse um pouco narcisista. Acho que quando a gente é uma banda acaba indo para outro lado, e por ser o meu nome. E eu gosto de pôr as canções em primeiro lugar, porque quem faz a missão na vida das pessoas são elas, eu sou só um instrumento ali no meio. Então nas peças eu quis ilustrar isso.

Me Gusta: Como foi o processo de criação das peças e estampas?

Gabriel: O processo de criação das peças foi muito legal, porque quando eu tive a ideia, eu tenho um caderninho onde eu componho, e nele mesmo que eu comecei a escrever as frases que pensei para as camisetas e qual frase para qual camiseta e fui fazendo uma triagem das que eu achava mais legais, e pegando referências para a gente criar as peças. E junto do nosso designer, chegamos nesse resultado, que a gente ficou muito, muito feliz.

Foto: Site da Solar Clothing

Me Gusta: Por falar em roupas, como é sua relação com a Moda? No dia a dia é muito diferente as roupas que você usa com as do palco?

Gabriel: Pra mim a moda tem que ser muito ligada ao conforto, eu gosto de me sentir bem e confortável ao mesmo tempo. As peças que a gente criou, também foi uma coisa que eu pensei. Eu queria criar peças que eu usasse, seja no palco ou no meu dia a dia. Queria que fossem peças coringas e confortáveis, nada muito justo. Numa onda que é minha praia.

Me Gusta: Você ano passado lançou “Música Pra Curar Brasileira”. Como tem sido a repercussão do álbum?

Gabriel: O amor está indo super bem e a gente tá muito feliz com o resultado. É o álbum que a gente tem muito carinho por todo o processo dele. para gente é o melhor álbum e é legal, porque as canções estão cada vez mais ganhando corpo, pela ideia do projeto e com “Somos Instantes” puxando o bolo todo das canções. É muito especial ver que aquilo que passou na nossa cabeça nas músicas, de certa forma é medicinal. A gente tem recebido inúmeras mensagens de pessoas sofrendo de ansiedade e depressão, dizendo como essas músicas tem atuado nas vidas deles. É sem palavras.

Foto: Instagram de Gabriel Elias

Me Gusta: Dentro do que puder adiantar, o que podemos esperar da versão deluxe do álbum?

Gabriel: O que posso adiantar dessa versão deluxe do álbum é que a gente tem um carinho muito grande. E nossa onda é a orgânica, mas a gente também tem um carinho e respeito pela galera do eletrônico, que fizeram uma parada muito forte com a “Esse Som Que Eu Fiz Pra Você”. E nesse trabalho a gente quis levar as mensagens dessas músicas pra outros ambientes, como é um disco que fala muito de a gente se cuidar, sobre a gente se manter bem, sobre energia, cuidar do nosso corpo e tudo mais a gente pensou, ‘já pensou que da hora esse som chegando a outros lugares?’. Como por exemplo, em academias, onde já rolavam muito nossos remixes e como por exemplo, pro público eletrônico, e pra assim que voltassem as festas, nas baladas tocarem essas músicas com mensagens positivas sobre manter o equilíbrio. Então a gente ficou muito nisso e quis expandir ao máximo as mensagens dessas músicas, seja nas versões mais orgânicas, seja no acústico ou para o eletrônico. Então a gente quis bastante alcançar isso.