17 de Março, Elis Regina completaria 76 anos e para celebrar a trajetória desta cantora maravilhosa, o álbum clássico “Elis” de 1972 é relançado.

O relançamento acontece nos formatos CD, LP e digital, com nova mixagem dirigida por João Marcello Bôscoli e remasterizado por Carlos Freitas.

Em 72, Elis já famosa, era a única mulher entre muitos homens que entraram no estúdio da gravadora Philips (extinta e com catálogo pertencente a Universal Music). Ela já tinha lançado quatro álbuns dos quais não se orgulhava e uma vida simples de menina prodígio no condomínio popular da Vila do IAPI. Ao chegar ao Rio, em 1964, embriagou-se do Samba Jazz no Beco das Garrafas até encontrar sua voz e sua turma no disco “Samba, Eu Canto Assim!”.

Um ano depois, em São Paulo, junto a Zimbo Trio e Jair Rodrigues, vencia o I Festival de Música Popular Brasileira na Excelsior com “Arrastão” e apresentava um programa de TV líder de audiência na Record.

Quando gravou o disco já era mãe de João Marcello e estava grávida de Ronaldo Bôscoli. No álbum os pedaços de vida e de memória da cantora, se juntavam para criar uma nova e definitiva Elis.

E uma curiosidade. Após o dusco ser todo gravado, Elis Regina e o produtor Roberto Menescal se juntaram para escutar o material. Ao fim da audição, Elis fez uma pausa de alguns segundos, olhou para o produtor e disse sobre todas as músicas: “Cara, eu sou foda escolhendo repertório”.

E para comemorar o relançamento, o grande hit “Casa no campo” ganhou até um lyric video.

Este relançamento é um grande presente para todos os amantes da boa e velha MPB. um dos trabalhos mais ricos e belos de Elis Regina e que marcou e continua marcando tantas gerações.

Obs: Com amor e saudade, dedico essa matéria a minha mãe que não está mais entre nós e que tinha Elis como sua cantora favorita.