Em parceria com LK 3030, Jey protesta pela igualdade de gêneros.

A música ganhou um clipe com estética vintage e tom de humor, que traz questionamentos sobre o comportamento social em relação ao trabalho e a desigualdade da relação: homem e mulher. As imgens monstram o trabalho árduo e pouco reconhecido das donas de casa e além de críticar o sistema patriarcal no qual a sociedade insiste em seguir. “Queríamos falar das sociedades antigas e como o comportamento das pessoas em relação ao trabalho se perpetua até nos dias atuais.”, afirma Jey.

Sobre a escolha de JK, a cantora conta “Não nos conhecíamos, enviei pra ele a música é pedi pra ele escrever um flow onde ele pudesse representar os homens se desculpando com as mulheres em relação ao não reconhecimento desse trabalho tão importante. Ele adorou a música de cara. Um processo muito gratificante, Obrigada é uma música onde não há guerra entre os sexos, mas sim uma reconciliação de idéias e confirmações dessa realidade de muitas mulheres”.

Com o intuito de fomentar o debate e iluminar o tema, Jey traz ainda em seu clipe considerações sobre o sistema social. “Carregar para si um peso de tantas cobranças e responsabilidades dentro e fora de casa vem trazendo sérias complicações físicas e psicológicas nas mulheres, segundos as pesquisas, doenças do coração e depressão em mulheres tem crescido o dobro na última década. Priorizar a saúde e o bem estar é o que eu aconselho, pra mulheres que passam por isso. Nada pode ser mais importante que isso”.

Jey revela ainda, que já passou por situações onde presenciou o machismo e lembra como ele tá estruturado na nossa sociedade. “Eu vivo isso até hoje, como mulher, mãe, esposa e profissional! A cobrança do trabalho doméstico é até hoje uma atitude que em 90% dos casos é feita e atribuída para nós mulheres. Acho que já é tempo dessas tarefas serem questões de toda família, inclusive dos homens”, conclui ela.