Luiza Sonza lança seu segundo álbum “Doce 22”, Verdadeiro mergulho interno extremamente pessoal. A data escolhida pro lançamento foi 18 de Julho por ser exatamente o dia do aniversário de 23 anos da cantora.

O novo trabalho é um presente da artista para si mesma e para seus fãs, bem como uma forma de expor artisticamente os sentimentos de Luísa diante de tudo o que viveu no último ano. Todas as composições e os arranjos foram feitos pela própria cantora, que mais empoderada e mais dona de si, expõe pela primeira vez, suas fragilidades, medos e incertezas. A direção musical é dela o lado de Doug Moda.

Expressando o que ela quer, da forma que quiser, Luísa quer com o novo álbum ir além de apenas emplacar um novo sucesso, subvertendo as exigências do mercado musical. O trabalho é fruto da honestidade e da sinceridade de seu olhar artístico, com autenticidade.

Capa do álbum “Doce 22”

Ela se inspirou muito nos anos 2000, inclusive pra dar nome ao disco, que é uma alusão ao ‘Sweet 16’, celebração que marca o início da maturidade na vida de uma menina em alguns países, e, também, ao ‘My Super Sweet 16’, reality show da MTV, que durante mais de 10 anos fez das vidas de jovens meninas um espetáculo aos olhos dos telespectadores, semelhante ao que aconteceu com Luísa em 2020, quando completou 22 anos.

Com 14 faixas em diversos estilos musicais, “Doce 22” pode ser dividido em dois lados, como duas faces de uma mesma moeda. O lado A, mais dançante e animado, investe na ousadia, sensualidade, coragem e traz seis músicas, com títulos em letras maiúsculas e a certeza de fazer todo mundo dançar. Já o lado B, mais sensível e melódico, mostra uma face mais vulnerável e intimista, ressaltado nos títulos redigidos com letras em minúsculo.

Luísa começa o álbum já mandando um recado a todos os haters e pessoas que tentaram desmerecer de alguma maneira o trabalho é o talento dela. Uma música forte e poderosa que reforça todo o trabalho e dedicação da cantora que conseguiu chegar onde chegou com muita perseverança.

Duas canções que falam de empoderamento feminino chegam pra celebrar a mulher independente. “VIP” mistura Pop e Rap com a participação de 6LACK, e reforça a garra da mulher e o lado empreendedor delas com uma letra incrível. É claro, não podia faltar, a já conhecida e amada pelos fãs, “Modo Turbo” com participações de Pabllo Vittar e Anitta.

Destaque para “2000”, canção inspirada nos anos 2000 e na sonoridade Pop da época. A letra fala da mulher que sabe o que quer e é livre, inclusive sexualmente. Pra mim, que vos escreve, a faixa lembra bastante o som das Pussycat Dolls, lá no primeiro álbum delas.

Inaugurando a parte mais calma do disco, “melhor sozinha” mostra toda fragilidade que as vezes sentimos quando estamos amando alguém, devido muitas vezes ao que já vivemos anteriormente. Uma faixa linda com arranjo gostoso e que combina muito com a voz de Sonza.

Uma das mais belas canções do álbum é “penhasco”. Muito sensível, a letra fala sobre se amar antes de amar o outro e seguir o próprio caminho. O arranjo gostoso nos deixa leve e a voz de Luísa nos embala passando emoção.

Com influências de Música Latina, como o Flamenco, “o conto dos dois mundos (hipocrisia)”, foi inspirado na relação de afeto e parceria com o pai, demonstrando ter saudade da vida calma e simples que levava no interior do Rio Grande do Sul antes do sucesso e, ao mesmo tempo, revela um certo desajuste em relação ao seu lugar no mundo, já que não mais se encaixa na realidade do passado nem na que vivencia atualmente.

Luísa, encerra o álbum com a participação do cantor, que para ela é uma grande inspiração, Lulu Santos, em “também não sei de nada :D” que fala sobre termos mais empatia e menos ego. A sonoridade dessa música é apaixonante e mistura Pop com Blues e até Folk. E uma curiosidade, a gaita usada na faixa, foi sugestão de Lulu.

Vale lembrar que mesmo indicadas na tracklist do álbum nas plataformas, as parcerias com Ludmilla, Jão e Mariah Angeliq nas faixas “Café Da Manhã”, “fugitivos” e “Anaconda”, não estarão disponíveis neste primeiro momento, sendo lançadas posteriormente.

O segundo álbum de Luísa Sonza evidencia sua maturidade vocal e principalmente sua maturidade como compositora. Além de mostrar que está cantando ainda melhor, a artista soube através das palavras expressar muito bem seus sentimentos e pensamentos, reafirmar sua essência e inspirar e empoderar as mulheres. Também um desabafo.

Vemos também uma Luísa mais segura, que se arrisca em diversos ritmos e nuances musicais, fazendo isso com muita sabedoria. Seus vocais impecáveis impressionam e deixam o álbum ainda mais especial. Ela também conseguiu com muita classe e sendo bem direta, dar o recado a todos os haters e pessoas que a criticaram ou desacreditaram de seu talento.

O novo álbum é uma bela reafirmação de que Luísa Sonza chegou para ficar e ocupar o seu lugar de destaque no cenário pop brasileiro e também mundial. Trabalho impecável e maravilhoso de uma artista sensacional e completa.