Em 2015 o Planta e Raiz lançou em parceria com Marina Peralta, o single “Só Agradece”. Na pandemia, a música teve 12 milhões de plays de seu vídeo, mesmo sem ter sido lançada no digital.

Depois deste verdadeiro fenômeno de acessos, finalmente a faixa que traz uma mensagem de otimismo e fé, chega a todas as plataformas digitais. Para falar sobre carreira e este lançamento, o vocalista Zeider recebeu, de forma online, a imprensa para uma coletiva em nome da banda e o Me Gusta teve a felicidade de ser um dos entrevistadores.

Saiba tudo o que o cantor revelou nesta incrível entrevista coletiva:

Mais recente single “Natureza Viva”

Essa música é da pandemia. Ela surgiu num momento em que a gente tava bem aqui recluso, eu e minha família. A minha mente ficava só naqueles lugares mais lindos que a gente passeia; a beira da praia, aquelas pedras no canto da praia, das praias que tem aqui no litoral norte de São Paulo. Era muita saudades de fazer um rolê, viajar, viver normalmente. Acho que foi isso e ao mesmo tempo, fazendo aquela analogia com a natureza de que tudo passa. Tem dia que o céu fecha e caí tempestades, tem dia ensolarado e tem dia que o mar está irreconhecível de tanta onda gigante e tem dia que o mar é uma piscina. Trazendo esse conforto no coração de que se a gente, for olhar para a natureza, a gente vai ver que uma hora tudo passa. Essa é a mensagem que a música traz.

Novo EP

“Natureza Viva” Primeiro single de um iPad cinco faixas e que vem puxando esse EP. A gente escolheu essa música porque ela tem uma batida bem moderna e é um Reggae bem Planta e Raiz, mas bem 2021. Tem um lance de estar emocionado e pensando numa nova forma de colocar a canção e todas essas outras faixas que estão sendo lançadas mês a mês. A próxima vem aí no meio de Agosto. As músicas foram gravadas no Midas Estúdio do Rick Bonadio aqui em São Paulo, que é alucinante, uma espaçonave que a gente teve oportunidade de voar ali e ir para outras galáxias e voltar com essas cinco faixas. As pessoas vão gostar demais. Tem coisa romântica, tem homenagem pra minha esposa, tem música dançante, tem Reggae mais na pegada de Reggaeton e do Ragga. A gente esta sempre antenado e fazendo música do coração pra nossa galera. As músicas vão chegar e vai ser sinistro, todas com videoclipe. Muita coisa por vir e tem também DVD, que a gente tá projetando gravar pelo Rio Grande do Sul. E um spoiler. A ideia é fazer esse DVD em Gramado. Vai ser lindo demais.

Música “Só Agradece” de 2015 nas plataformas

Essa música é maravilhosa e foi um presente da Marina Peralta, que é a autora da música E ela colou com a gente, pra fazer essa versão e foi muito legal. Tudo Foi fluindo naturalmente. Ela é bem focada e uma menina de presença, marcante e que sabe o que quer. A gente conseguiu fazer a música como um Reggaezinho bem arrastado e teve a oportunidade de criar também uma parte e somar com ela. É uma música que mostra que a gente tem que dar valor à vida e as coisas que fluir de forma natural e Coisas que realmente são pra sempre. É uma música que em qualquer momento da história da humanidade, você vai ter alguém dando um play e dizendo “obrigado pela vida, por tudo que existe e por minha família”. Um presente de Deus, que agora está em todas as plataformas musicais. A música ficou um tempão meio no underground, no You Tube e Páginas meio aleatórias. Mas agora, a gente conseguiu puxar ela pra gente e pra todas as pessoas ouvirem.

Importância da arte e das mensagens da banda na pandemia

A arte é uma conexão com Deus, uma ligação com o espiritual e isso sempre nos traz um conforto ou uma agitação, dependendo de onde você tem focado sua energia. No Reggae, a energia é focada na fé, na esperança, na união e no amor a si próprio e ao próximo. Acho que esse tipo de arte, que está canalizando essa energia, nesse momento é importante, porque é a coisa que as pessoas mais querem para si e para quem ama. Não é uma questão só pessoal. Nesse momento tem pessoas próximas que tinham que ser protegidas. Então é um lance muito maior que a gente mesmo. É isso que as canções do Reggae trouxeram, essa esperança e a gente também não parou de produzir e de girar essa energia boa, e essa fé em Deus. A música é o caminho e o Reggae é a música do futuro, na real, porque sempre uma hora as pessoas vão ter que olhar para si e falar “caraca mano, preciso tranquilizar meu coração é de algo que me traga paz”. E as mensagens são fundamentais pra gente conseguir trilhar o melhor caminho e pra ter uma ajuda.

O single em inglês “Rasta Business“

A melhor coisa que aconteceu foi essa junção e poder ter gravado junto e ter se encontrado pra trocar uma ideia sobre a música e passar momentos juntos fazendo música. E mano, uma música em inglês eu sempre quis, porque no Reggae, o inglês bate muito ali. Eu ouvia muito na minha vida inteira, as músicas em inglês e tenho esse lance de cantar em inglês, até as vezes pra compor. Se você vai compor em inglês, você começa a procurar as palavras e elas se encaixam perfeitamente e em “Rasta Business” foi isso. Surgiu de uma brincadeira com os meus brothers e a galera que faz música. A gente se encontrava na estrada e falava “Rasta Business”, vendo os caras ali trabalhando e fazendo música e se divertindo, até no Backstage e se comunicando com muita gente. E veio a parada dessa música junto com o Thiago Barromeu, que foi o produtor da faixa. Ele disse “Zeider, a gente tem que gravar essa música” e isso botou impulso e a música veio. É muito bom ter os meus irmãos comigo e eles são referências pra mim também.

Feats dos sonhos

Quero muito cantar com muita gente. Quero muito cantar com o Marcelo Falcão, que é meu brother e admiro muito e a gente nunca gravou nada junto. Seu Jorge também é um cara foda e seria muito legal fazer algo junto. De repente gravar com algum filho de Marley, alguém da família dele. E também alguém mais clássico, o Gilberto Gil, o Jorge Ben Jor. Sonhos altos. Quem não sonha alto, não chega.

Fazer música na Pandemia

Uma coisa muito forte que rolou, foi a questão emocional. Acho que principalmente na gente como artista e no trabalhador do ramo da aglomeração, sacou? O mais difícil foi administrar o emocional mesmo, sem saber o dia de amanhã e quando isso vai passar, porque essa é a nossa principal fonte de correria e o nosso ganha-pão. Sou compositor e componho há 20 anos e já compus para um monte de artistas e continuo compondo, mas a estrada é muito importante pra gente que é músico. E na questão criativa foi legal, porque mergulhei no trabalho e fiz muita música sozinho e em parceria. Na questão do business, a gente conseguiu organizar toda essa parada. Quem está distribuindo agora o nosso som é a ONErpm, que está nos fortalecendo nessa divulgação e em tudo que tem acontecido. A gente fez música pra caramba e foi preparando as coisas que estão por vir e tem mais outras músicas ótimas que a gente vai gravar e que vão chegar em breve. Comercialmente não rolou nada por não ter show, mas a gente ficou com as nossas famílias e arrumou a nossa casa e fortaleceu a equipe. E o mais difícil foi o emocional e segurar a questão da ansiedade e tudo mais. Sou um cara que nunca tinha passado por isso. Eu sempre dormia muito bem de noite e a pandemia virou minha cabeça e eu não conseguia descansar e o coração ficava acelerado. Era uma ansiedade, uma parada que a mente produz e a gente não consegue nem controlar. Muita gente deve ter passado por isso também e se você está se sentindo meio pressionado no coração e na mente, e precisando de ajuda, é necessário a gente comoatilhar nossas ideias e cuidar da nossa saúde mental. É fundamental.

Manter o frescor da banda que tem 21 anos de carreira

A gente sempre pôs a nossa criatividade à prova, sempre criando algo novo, buscando uma nova canção, uma nova melodia, um novo arranjo. A gente andou muito tempo colado e a gente é uma família, que busca fazer a coisa acontecer. A gente ensaia quando vai gravar e não fica perdendo nosso tempo gastando energia. A gente foca energia na nossa família, nas coisas que a gente tem que fazer e na música. A gente tem se mantido muito unidos e sempre com novas ideias para produzir.

Zeider durante a Coletiva