Chico Brum lança a apaixonante “Velejo”

A nova música tem como tema a perspectiva do homem negro de pensar sua existência em expansão para o mundo. “O ‘ser negro’ é marcado pela busca por uma apropriação satisfatória do lugar de si. A ideia da música seria de fato entrar na subjetividade de meus versos para explorar os ‘contornos’ desse afeto no contexto de um mundo cada vez mais caótico”, revela Chico.

O single é a segundo do álbum “Travessia” e a composição ilustra a experiência de olhar para dentro, e, a partir disso, descobrir a própria essência a ser externada. E, segundo o artista, o “ser negro” tem tudo a ver com essa narrativa. Além disso, a faixa explora a beleza do amor entre pessoas negras.

Com sonoridade marcante, a canção tem uma letra muito bem construída e uma clara influência da música afro com bastante percussão, de atabaques e que se harmonizam com a guitarra e la vibe do arranjo e com a voz de Chico.

Chico Brum:

Chico Brum é cantor, compositor, guitarrista, Violonista, arranjador, produtor musical e diretor de fotografia, 32 anos. Começou a estudar música aos 18 anos. (2012), co-fundou o coletivo musical “Guaiamund”, como cantor, compositor e violonista. Participou do espetáculo “Mercedes” tocando violão e flauta transversa. Participou do espetáculo “Pineal Ritual Cênico” como músico na Sede das Cias e no festival Midrash Teatro. (2017) Participa do projeto “Som Da Cidade” como “Aerofones”. Tem músicas lançadas pelas cantoras Priscilla Tossan e Tuany Zanini e em seu EP “Fobia Cultural”. Atuou como diretor e Guitarrista no Show “Dança Dos Loucos” de Tuany Zanini, no Sesc Copacabana e no estúdio Show Livre em São Paulo. Em Outubro Chico fez direção musical e foi guitarrista com a cantora Tuany Zanini no palco Favela do Rock in Rio.