Refletindo sobre ataques que as mulheres vivem na indústria do entretenimento, Giulia Be lança “Show”.

O single chega com o clipe dirigido pela cantora ao lado do Ygor de Oliveira que mostra uma mulher que foi traída e foi a última a saber. Destaque pra atuação de Giulia como atriz.

Pra produção, a artista se inspirou em cenas do filme “Ghost”, sucesso dos anos 90, que foram colocadas na produção para simbolizar algo que já se foi, mas que ainda rodeia a personagem, como um fantasma.

Foto: João Viegas

Diferente de suas outras, a faixa não teve sua letra baseada em uma história que a cantora viveu ou alguma de suas amigas, mas sim nas histórias que criam em cima dela e de outras mulheres da indústria, no show que fazem de suas vidas. A letra teve, inclusive, inspiração em uma entrevista que Taylor Swift deu em 2014, na era “Blank Space”, e em como ela decidiu abraçar o papel que as redes criaram para ela em forma de sátira.

A composição também reflete sobre como essa criação de narrativa inventada por uma parte do público, pode ser destrutiva e incentivar a competitividade feminina. Com ressignificação, somos levados a refletir sobre o quão duro pode ser o mundo ilusório das histórias criadas pelo entretenimento e pelo simples clickbait.

Foto: João Viegas

Uma curiosidade sobre o vídeo: Nascida numa sexta-feira 13, Giulia vira e mexe usa símbolos de sorte para ela. E pro clipe, ela escolheu um gato preto, representando não somente um apoio emocional, mas também luz e verdade em cima da situação que ocorre na vida da personagem, pensando se a ilusão é azar ou sorte disfarçada.

Foto: João Viegas

Giulia Be escreveu uma carta aberta pro lançamento. Leia na íntegra, a seguir:

Escrevi “show” após ver uma entrevista da taylor swift de 2014. nesse diálogo ela contava a gênesis do seu hit “blank space”, e como depois de muita perseguição da mídia, ela decidiu entrar no papel que criaram pra ela e curar essa ferida através da composição de uma música que pensava não só na identificação dos seus ouvintes, mas era regada de humor e sátiras em cima… pois a vida já é muito pesada pra não aprendermos a sorrir frente às nossas dificuldades. E assim nasceu “show”: uma música que conta uma história de ilusão e desilusão… um romance de brincadeira que representa esse sentimento que não é estranho pra qualquer usuário de redes sociais em 2021: a nossa vontade de acreditar na versão da história que mais nos entretém. a nossa vontade de assistir o mais novo “show” que todo dia nos é vendido.

percebi que a maioria das pessoas têm a tendência a acreditar na melhor versão da história que lhes é contada, mas poucas vezes paramos de fato pra pensar nas consequências ou na veracidade daquela informação. esse ano eu vi inúmeras mulheres sendo caçadas pelo júri da internet, vi autoestimas e relacionamentos sendo destruídos por algo que na maioria das vezes fugia 100% do controle da pessoa atingida, vi rivalidades sendo criadas por narrativas fora de proporção e acirradas por palavras fora de contexto, e acima e além de tudo isso eu vi muitas mulheres que apenas queriam contar o seu lado da história serem completamente invalidadas por massas de desconhecidos ou homens em altas posições de poder.

e uma hora cansa, né?

assim decidi montar meu “show”. ressignificar essa velha história através de uma música romântica, que pra mim já se tornou eterna. decidi me dar a chance de dirigir meu próprio clipe, e dessa forma tentar trazer a minha visão através de simbolismos lúdicos, easter eggs, e uma narrativa que (spoiler alert) contém um “plot twist” chocante, divertido, e livre de rivalidade feminina. espero que ele te entretenha, te faça dar risada, te faça refletir, e acima de tudo espero que ele te inspire a nunca mais ter medo de tomar as rédeas da sua verdade por receio do que os outros vão pensar ou inventar.
pra finalizar, desejo que 2022 seja o ano da mulher livre.

que possamos nos sentir libertas para simplesmente fazer o nosso trabalho como muitos homens têm feito por anos sem medo de serem julgados ou mal-interpretados. Que possamos ser artistas, empresárias, escritoras, e o que bem mais quisermos ao tomar posse das nossas diversas histórias e conquistas. que possamos ser lembradas e celebradas da maneira que nós escolhermos. que 2022 seja o ano para nós “meninas soltas” mostrarmos de uma vez que de fato, eles terão que superar (ah ah ah), essas mulheres livres e incríveis.

esse será meu último lançamento do ano. e mal posso esperar pra vocês verem tudo que está por vir… e se preparem… porque terá muito mais “show” :)”.