Belo lança o medley “Belo Future – Poderosas”, com canções da Anitta em homenagem às mulheres.

Atualmente, Anitta é a artista que mais representa o Brasil no exterior e desenvolveu sua carreira à sua maneira, sendo gestora de si mesma e tendo consciência da influência que tem. Por ser símbolo desse empoderamento feminino, o cantor decidiu gravar 3 canções da artista

Neste novo medley do projeto “Belo Future”, são interpretadas as músicas “Zen”, “Música de Amor” e “Ritmo Perfeito” mesclando a base do pagode com sonoridades eletrônicas. “Anitta é uma grande desbravadora. Mostrou que é uma grande empresária, compositora, cantora, que pode estar onde quiser, dançar da forma que quiser e usar a roupa que bem entender. E é essa liberdade que queremos trazer com esse trabalho”, ressalta Belo.

E o mix de músicas com produção musical de Umberto Tavares e Jefferson Junior, ganhou um clipe dirigido por Beto Chaves, com um time feminino de peso. No vídeo, mulheres de diferentes padrões de beleza se maquiam em frente ao espelho enquanto esperam a chegada do fotógrafo, interpretado pelo Belo. Mas, por traz dessas modelos, estão mulheres reais de diferentes ofícios e histórias, como bombeira, atleta, advogada etc. Como Belo conta: “A reverência está muito além da estética. Está em suas vidas reais, suas lutas, suas trajetórias”.

Esta é a quinta edição desse projeto audiovisual e inovador da carreira do Belo. “Belo Future”nasce do enorme desejo de presentear os fãs e, de uma vez por todas, marcar a chegada do cantor ao ambiente digital. Tudo isso com uma vontade imensa de Belo, de falar ao coração dos brasileiros através de um projeto que aponta para o futuro, apesar de as músicas serem regravações e que foram escolhidas de fora do repertório do artista, mas que, ainda assim, representam sua essência.

“São músicas que eu sempre gostei e que, agora, eu tenho a honra de interpretar. Para mim, é uma semente que está sendo plantada. Depois, podemos fazer um show totalmente inovador atingindo diferentes públicos, gostos e idades”, aponta Belo.