Zeca Baleiro volta ao cancioneiro português em edição deluxe de “Canções d’Além-mar”.

O disco premiado na 22ª edição do Grammy Latino, como “Melhor Álbum de Música Popular Brasileira”, e que foi lançado em Julho de 2020, homenageia autores portugueses como Sérgio Godinho, Pedro Abrunhosa, Fausto, Zeca Afonso, Rui Veloso e Carlos Tê, Jorge Palma, António Variações, Ornatos Violeta, Vitorino, João Gil e João Monge, e José Cid.

“Desde o lançamento do álbum, alguns amigos portugueses me cobraram pela falta de artistas da nova geração. Mas eu precisava antes render tributo aos artistas responsáveis pelo meu ‘ingresso’ na produção musical contemporânea de Portugal – Fausto, Sergio Godinho, Jorge Palma, Rui Veloso, esses cânones todos. Quem sabe não surja por aí um volume 2 em breve, contemplando as novas gerações? Tenho ouvido bastante coisa interessante, há uma cena bonita e rica hoje na música portuguesa”, comenta Baleiro.

Foto: Diego Ruahn

Agora, a edição de luxo chega nas plataformas digitais com duas gravações inéditas: “O Homem do Leme”, do grupo Xutos e Pontapés, e “Inquietação”, de José Mário Branco. O álbum mistura canções portuguesas icônicas e alguns “lados B”, bem ao estilo de Zeca, que relembra que a escolha do repertório para o álbum não foi tarefa fácil. “Fui obrigado a deixar de fora alguns artistas que muito admiro, como Luís Represas, Clã, Trovante, Mafalda Veiga, Deolinda, Rádio Macau e outros mais, do contrário não seria um álbum, mas uma enciclopédia da música portuguesa”, relata ele.

“Canções d´Além-mar” é uma carta de amor de Zeca Baleiro a autores portugueses. Nas suas palavras, “não é uma antologia, mas um recorte afetivo do cancioneiro português feito por um músico brasileiro, uma homenagem sincera e apaixonada”.

Longa é a história de amor entre Zeca Baleiro e Portugal. Em 1999, no projeto “Navegar é Preciso”, um encontro entre artistas brasileiros e portugueses em São Paulo, Zeca dividiu o palco com Pedro Abrunhosa – o primeiro artista português com quem partilhou o palco. Desde 2000, Baleiro tem realizado bem-sucedidos espetáculos em Portugal, em temporadas regulares. Em 2001, a convite de Sérgio Godinho, se apresentou pela primeira vez para um grande público em Portugal, na Festa do Avante. E foi Jorge Palma o compositor português que ele primeiro gravou em disco. Em 2006 registrou “Frágil” como faixa-bônus para o cd “Baladas do Asfalto e outros blues”, lançado primeiramente em Portugal. A gravação o aproximou de Palma, a ponto de dividirem o palco no Rock’n’Rio Lisboa 2010. Também dividiu o palco com o grupo “Clã”em duas oportunidades – em show na Praça do Comércio, em Lisboa, e no Teatro Sesc Pompeia, em São Paulo.

Escolha a plataforma de sua preferência e escute o álbum: https://onerpm.link/CancoesDAlemMarDeluxe.