Criador do Queernejo, Gabeu emplaca nome entre os concorrentes do Grammy Latino 2022.

O artista é a prova de que a música transcende barreiras e quebra qualquer tipo de paradigma imposto pela sociedade. Se hoje a grande mídia canaliza o Sertanejo para padrões estereotipados da população, o cantor, nascido em Franca (SP), vem ganhando grande destaque na mídia mundial. Recentemente, Gabeu foi indicado ao Grammy Latino 2022, levando o Queernejo pela 1ª vez à premiação.

Foto: Gabriel Renné

Recentemente, o Grammy Latino divulgou a lista oficial de indicados e, entre eles, está o cantor brasileiro, que disputa a categoria de “Melhor Álbum de Música Sertaneja” com “Agropoc”, seu primeiro álbum. Os vencedores das 53 categorias da premiação serão anunciados em 17 de Novembro, em uma cerimônia na MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, Estados Unidos. Na mesma categoria, concorrem Chitãozinho e Xororó (Chitãozinho e Xororó Legado), Matheus e Kauan (Expectativa X Realidade), Marília Mendonça e Maiara e Maraísa (Patroas 35%) e Lauana Prado (Natural).

Percursor do queernejo, Gabeu que recentemente fez uma participação como ele mesmo na série da GloboPlay, Rensga Hits, conta “Acordei com milhões de notificações e achei que tinha vazado alguma foto comprometedora. Mas era o Grammy Latino indicando o ‘Agropoc’ na categoria de Melhor Álbum Sertanejo, ao lado de gigantes! Meu primeiro álbum, o álbum que resgata minhas raízes caipiras ao mesmo tempo que celebra a toda minha identidade queer chegando nesse lugar, é um marco e hoje sei que não apenas para mim“.

Foto: Gabriel Renné

E ele completa, “É um prazer poder compartilhar a minha arte com vocês e me sentir confortável pra dizer que esse álbum surge do meu amor pela música sertaneja, mas também da necessidade de questionar e ressignificar várias coisas nesse universo. A bota, a fivela e o chapéu já não são mais símbolos daquilo que eu não queria ser, pelo contrário, são com esses símbolos que eu tenho a possibilidade de mostrar a minha força“.

Dono de hits como “Amor Rural” e “Sugar Daddy”, Gabeu é ainda desconhecido para uma fatia da população, mas extremamente querido na comunidade LGBTQIA+. A relação do artista com a música começa muito cedo, vindo do berço. Filho do cantor Solimões (que faz dupla com Rionegro) o cantor recorda seu engatinhar no sertanejo. “Sempre fui muito ligado a música desde que me entendo por gente, pois a música, sobretudo a sertaneja, sempre esteve muito presente dentro de casa”, pontua ele.

Foto: Gabriel Renné

Conhecendo Gabeu:

Cor: Preto

Livro: “Quando O Sol Não Se Põe”

Sentimento: Amor

Número: 19

Bebida: Suco

Hobby: Pintar

Peça de roupa: Chapéu

Uma letra: G

Lua: Cheia

Som preferido: Sino tibetano

Perfume: Fame

Um lugar: A casa da minha mãe

Cantor(a): Orville Peck

Comida: Feijão

Sonho: Muitos shows

Dia da semana: Sábado

Horário do dia: 22h

Música: “Colcha de Retalhos”

Filme: Kill Bill

Seriado: Sense8

Objeto: CD