Texto e entrevista por André Rossanez

Com apenas 19 anos, Nina Fernandes já é um dos grandes nomes da nova geração da música brasileira e lança o seu EP “Digitando” pela Slap / Som Livre.

Após conseguir a marca de 2 milhões de acessos no You Tube com clipe de “Cruel”, Nina lança o clipe do seu mais recente single “Arroz Com Feijão”, em parceria com Outro Eu. A direção do vídeo foi por André Godói.

O Portal Me Gusta teve a honra de conversar por telefone com Nina Fernandes. Ela me contou um pouco sobre sua carreira, seu mais recente EP e do seu novo hit. Você vai saber tudo que conversamos.

Portal Me Gusta: Como surgiu a música na sua vida?

Nina Fernandes: Eu sempre gostei muito de ouvir música desde pequenininha e a minha casa sempre foi muito musical. Meu avô colecionava disco de vinil e eu herdei essa coleção, hoje em dia é muito difícil ter disco de vinil, mas sou apaixonada. Acho que a música estava presente em todos os momentos do meu dia. Minha mãe gostava muito de cantar para mim e quando eu tinha uns 15 anos eu fiz muitos amigos no meio da música. Minha família era do rio, então eu ia bastante para lá e fiz um amigo da música que fazia “Malhação” lá no Rio e eu ia visitar muito ele. Ele me apresentou para esse meio artístico carioca e eu comecei a gostar mais de ouvir música brasileira e a me interessar mais nos jovens da cena musical do Brasil também. Foi mais nessa época que eu comecei a fazer as minhas músicas. Fiquei apaixonada e comecei a ver isso mais como algo profissional.

Me Gusta: Como se deu a escolha do repertório do EP “Digitando”?

Nina: Acho que foi meio que uma mistura de músicas que fiz nos últimos anos, depois que lancei o meu primeiro trabalho em 2017. No caso da “Arroz Com Feijão” que a gente tá trabalhando agora, por exemplo, acabei escolhendo no momento em que eu realmente a gravar o EP, mas eu tinha o sonho de gravar ela já fazia um bom tempo. Na mesma época que eu tinha uns 15 anos, conheci o Mike da banda Outro Eu, que me mostrou essa música ainda em uma fase embrionária, um pouco menos parecida com que ela é hoje e disse para mim que eu deveria gravar. Eu não tinha nenhum trabalho autoral então me apaixonei pela música e a primeira oportunidade que tivesse queria gravar, mas o tempo passou e a gente deixou ela de lado. Até que percebi que ela tinha tudo a ver com essa história que eu queria contar no “Digitando” e coloquei ela.

Me Gusta: Como foi a gravar o clipe do single “Arroz Com Feijão”?

Nina: Foi muito lindo. Não tenho muitos clipes, mas esse foi talvez o que tenha sido mais divertido de gravar. A gente gravou na madrugada, num parque de diversões com amigos, fãs e administradores de portais de São Paulo. Foi muito bom, porque juntou muita gente que eu gosto e foi ótimo trabalhar com a ‘Pródigo Filmes’ e com o André Godói, diretor maravilhoso, que amo. Foi uma experiência única, desde que eu gravei o primeiro clipe de “Cruel”. me apaixonei muito por esse cuidado com a produção de arte e com a fotografia usada para contar a história que eu conto com a música. Eu já imaginava como iria ficar e fico muito feliz com o resultado e feliz que não foi algo sofrido para ser feito, foi muito gostoso.

Capa do EP “Digitando”

Me Gusta: Seu processo de composição, como acontece?

Nina: Eu costuma escrever muito sobre coisas que aconteceram comigo, mas acho que ao longo desse meu processo de amadurecimento artístico fui aprendendo que também faz parte da trajetória do compositor, entender em algum momento que a gente precisa se sensibilizar também com a história de outras pessoas. Talvez essa tenha sido a evolução mais legal que observei entre o trabalho que fiz em 2017 e o “Digitando”, porque nessa época que percebi que a a gente não precisa necessariamente falar sobre assuntos que estão ligados a esse universo de relacionamento e que o amor está em muitas coisas da nossa vida. Acho que também falar sobre quem se admira e a passagem do tempo, enfim, são coisas que acabaram sendo legais e intuitivas de fazer e fico feliz. Então tem de tudo, um pouco da minha vida e o que observo o meu entorno.

Me Gusta: Uma música que chama muita atenção é “Alice”. Qual foi a inspiração para essa canção?

Nina: Eu gosto muito do resultado dessa música. Engraçado, porque eu não esperava que ela pudesse ter qualquer tipo de identificação com o perfil que o público da minha música tem, pois essa música é muito específica. Ela você fala sobre uma menina. A minha inspiração foi a atriz Alice Wegmann, que é uma atriz que eu amo e acompanho o trabalho já tem alguns anos. A primeira novela que assisti, quando era pequena, se chamava “A Vida Da Gente” e ela fazia uma tenista e aquela menina me encantou porque era muito espontânea. Depois teve uma série da Globo, “Onde Nascem Os Fortes” e Alice fazia uma menina que chamava Maria e que me emocionou muito. Eu nem assistia a série, mas liguei a TV um dia e vi uma cena dela que me emocionou muito, me deixou mexida e comecei a ver a série. Me apaixonei pela personagem e já era apaixonada pela Alice e decidi escrever uma música em homenagem a ela, e trazendo alguns elementos do Nordeste, afinal essa série se passava lá. E foi especial explorar esse universo. Tem uma coisa do ritmo, da música visceral nordestina, mas eu quis puxar um pouco mais para o Folk e com elementos eletrônicos, trazendo mais para o meu universo.

Me Gusta: Como é sua relação com seus fãs?

Nina: Eu tenho uma relação muito próxima. Acho que as redes sociais têm esse lado bom, de aproximar a gente e é muito imediato, muito fácil mesmo. É para isso que faço o que faço, para falar com quem quiser me ouvir. É uma relação muito boa.

Me Gusta: Do do que você puder adiantar, o que podemos esperar do que vem por aí?

Nina: Eu quero até o final do ano lançar um EP novo. Não sei se no final do ano, ou no início do ano que vem pretendo lançar um disco, mas ainda tô entendendo o jeito como as pessoas estão consumindo música. Percebi que é bastante diferente que no passado, em que a gente fazia o CD grande. Então penso mais em de repente, trabalhar com singles e talvez um EP um pouco maior. Mas por enquanto estou super focada mais no show. É um sonho realizado fazer o que eu estou fazendo agora. Estou muito feliz e acho que até o fim do ano acaba esse processo de divulgação do “Digitando”.

Super talentosa e com uma voz doce e gostosa de ouvir, Nina Fernandes vem conquistando cada vez mais o seu espaço na música nacional.

É uma artista que ama muito o que faz, algo que apenas com sua maneira de falar consegui perceber nitidamente ao telefone. E o amor pela música, combinado com sua simpatia e suas belas composições, a torna uma das melhores cantoras da cena atual.