Silva Ao Vivo Em Lisboa

Por André Rossanez

Silva lança pela Slap, “Ao Vivo Em Lisboa”, seu novo álbum gravado em terras portuguesas e que traz uma roupagem acústica para sucessos do disco “Brasileiro” e pra hits consagrados da MPB por outros artistas.

Mais intimistas e acolhedores, os shows que deram origem ao disco, aconteceram no Cineteatro Capitólio de Lisboa, em Março de 2019.”Foram seis shows, duas sessões por dia, com ingressos esgotados e me deu o gostinho de tocar de um jeito enxuto minhas composições e músicas que considero joias da música brasileira”, revela Silva.

Sobre lançar o novo projeto, o artista conta “A princípio, eu tinha questionado essa decisão (dos equipamentos de gravação). Mas comecei a ouvir esses materiais e vi que os registros estavam lindos. Tínhamos ‘microfonado’ o teatro todo. Não tinha a intenção de lançar, era para guardar. Mas, quando eu vi que tinha esse material, achei que devia lançar”.

Silva logo de cara chega com sensibilidade e muita leveza, ao relembrar um clássico de Pixinguinha. Apenas voz e violão, “Carinhoso” nos faz nos sentir mais leves e com a alma flutuando ao ouvir a voz do cantor num tom bem suave.

A emoção toma conta da gente na nova versão acústica para “Prova Dos Nove”. É lindo ouvir o artista no melhor do estilo MPB e cantando como dizem, com um sorriso na voz.

Sucessos da MPB foram gravados por Silva neste novo projeto. Com voz e violão, “Bem Que Se Quis”, “Beija Eu” e “Infinito Particular” nos fazem viajar ao tempo, tanto pelas lembranças afetivas delas na voz de Marisa Monte, como pela turnê dele cantando apenas hits da cantora. E que lindo foi ouvir “Um Girassol Da Cor Do Seu Cabelo”, umas das mais lindas poesias de Milton Nascimento e que mais intimista nos faz nos sentir ainda mais próximos de Silva. Ótima e pra cima, ficou também o cover de “Canta Canta Minha Gente”, um clássico de Martinho da Vila e que fez Silva se jogar no Samba e levar a galera ao delírio.

Foto: Juliana Amorim

O artista também dá uma roupagem acústica a um de seus grandes sucesso, “Júpiter” que dá nome ao disco dele e que o fez ser conhecido nacionalmente. Uma faixa que tanto em 2015 quando foi lançada, como hoje, conversa muito com o mundo que vivemos e inclusive com a situação atual que vivemos. Imagina se pudéssemos ir a um mundo longe daqui, se este novo lugar tivesse paz e amor sem julgamentos. Essa imaginação nos faz pensar como podemos fazer da Terra um lugar melhor e mais justo.

Músicas do álbum “Brasileiro”, o anterior, não podiam ficar de fora. Bem ‘Bossa Nova’ temos todo o encanto de “Duas Da Tarde” que fala de natureza e liberdade e nos deixa leve como uma pluma. Só de ouvi “Milhões de Vozes“, conseguimos perceber que Silva se emocionou ao cantá-la e claro, nos emocionamos juntos, inclusive com a força dos aplausos da galera ao fim dela. “A Cor É Rosa” mesmo em versão acústico não perdeu em nada a vibe pra cima e tropicalista. E uma das faixas em que mais notamos a semelhança da voz de Silva com a de Caetano Veloso.

E é incrível como é sempre muito gostoso ouvir “Fica Tudo Bem”, uma canção solar e positiva que nos lembra que a as melhores coisas da vida são as mais simples e que tudo vai ficar bem. Destaque pra animação da plateia cantando o hit junto ao cantor.

Foto: Juliana Amorim

Silva acertou muito no repertório de seu mais novo álbum ao vivo. Ele soube escolher as grandes canções de seu disco “Brasileiro” e soube dar uma versão acústica muito bem pensada e com ótimos e simples arranjos pra grandes sucessos da MPB, que ficaram com a cara desse cantor que já é um dos melhores e maiores da nova geração.

Muito gostoso ouvir como a plateia se jogou junto com ele, algo que só artistas com muito carisma e talento conseguem. Não é à toa que o público de Silva o ama.

Júpiter

Silva lança um anova versão para o hit “Júpiter”, que fala muito com o momento atual em que estamos vivendo.

A canção que fala faz menção de Júpiter como um novo mundo, onde pode ser bom para se viver, caso lá as pessoas sejam mais digamos, humanas, do que em nossa Terra, ganhou essa roupagem mais intimista e no projeto “Ao Viv Em Lisboa” que o todo tem 16 faixas.

E já está no ar um lyric video muito fofo deste hit originalmente gravado em 2015. Nele vemos junto da letra, uma animação que mostra um dinossauro imaginando e planejando a fuga pra Júpiter. Os desenhos são de Matheus Tomé.

Silva explica porque esta faixa foi escolhida como primeiro single, “A faixa tem tudo a ver com esses tempos, com essa sensação de ver tantas coisas dando errado ao nosso redor, algo que estamos tendo que lidar agora. ‘Júpiter’ propõe um novo lugar, um recomeço. É uma alegoria a isso na verdade. Precisamos continuar refletindo para evitar o ainda pior e propor um recomeço justo como sociedade”.

Foto: Juliana Amorim

Já Matheus, o desenhista do vídeo conta, “Em momentos como esses, a criatividade depende inteiramente da minha imaginação. Não tem rotina, pessoas na rua ou histórias engraçadas com amigos. Fiquei muito feliz pelo convite do Silva. Foi uma oportunidade de expandir as plataformas do meu desenho”.

O novo álbum “Ao Vivo Em Lisboa” foi gravado em Março de 2019 no Cineteatro Capitólio, com um show mais intimista. No repertório, cançõs do disco “Brasileio”e egravações de sucessos dele e também da MPB com lançamento pela Slap. No dia 22 de Maio, os áudios de todas as faixas serão lançados nas plataformas digitais.

Corpocontinente

A cantora Céu lança “Corpocontinente”, uma canção suave e ao mesmo tempo forte.

A canção ganhou um clipe dirigido por Rodrigo Saavedra. Na produção vemos o delírio de um homem, que tenta fugir da dura realidade em um mundo cheio de fábricas e poluição.

A cantora faz um balanço do resultado “Um clipe extremamente brasileiro e tropical, porém a maneira como as coisas são filmadas e consolidadas, vira absolutamente contemporâneo e mundial. Então vejo referências do Brasil e vejo do mundo, e acho que trata de um sentimento amoroso, e de uma relação, que é a saudade, por um outro ponto de vista extremamente interessante”.

“A ideia do clipe partiu principalmente do nome da música: Corpocontinente. Esse híbrido entre uma relação com uma pessoa, e uma relação com a terra. A canção tem um ar melancólico e quase nostálgico, que poderia se aplicar a um relacionamento amoroso que terminou. Só que eu escolhi retratar a Céu como uma espécie de personificação da natureza. Portanto nesse caso o homem sente saudade dessa relação que tinha com a floresta, uma floresta que já não existe mais no mundo distópico no qual ele vive”, revela o diretor.

A faixa faz parte do novo álbum, “Apká”, que recebeu este nome em referência à primeira palavra que o segundo filho da cantora, Antonino, disse.

Pra Vida Inteira

Silva e Ivete Sangalo trazem muito Axé na deliciosa “Pra Vida Inteira”.

a linda canção ganhou um clipe gravado na Bahia em Salvador, no Pelourinho com direção de Bruno Ilogti. Na produção Veveta e Silva embalam a historia de um casal que se conhece quando crianças e ficam juntos até a velhice.

Foto: Breno Galtier

Sobre a música composta por seu irmão Lucas Silva, o cantor revela “Essa música, ‘Pra Vida Inteira’, me lembra as músicas que a gente ouvia na nossa infância, com uma batida de samba-reggae e uma letra que fala sobre um desses amores de verão que passam e maltratam o coração da gente. Não é só por conta do título da música, mas a minha vontade era de fazer uma canção que pudesse ser ouvida pro resto da vida”.

Silva, que se chama Lúcio falou um pouco sobre a felicidade de cantar com a musa Ivete. “Sempre quis cantar com Ivete, sou fã da voz e do carisma dela desde que me entendo por gente. Ivete é uma das artistas mais influentes da nossa música e gravar uma canção com ela significa muito pra mim”.

Foto: Breno Galtier

A cantora revela, “Silva é artista que nos coloca na memória afetiva no instante que ouvimos sua voz”.

E uma curiosidade. Laís, a sobrinha de Ivete que já adorava o trabalho de Silva, incentivou muito a parceria e foi muito importante para a união dos dois artistas.

Um Pôr-Do-Sol Na Praia

Silva e Ludmilla curtem “Um Pôr-Do-Sol Na Praia” juntinhos e vão conquistar vocês em cheio.

O clipe da nova música com direção de Rafa Costakent e Ivan Abujamra, foi gravado em estúdio e também no litoral paulista em um clima praiano bem gostoso. Na produção, eles fogem do estresse do dia a dia, curtindo a praia e relaxando.

Fã de Lud, o cantor revela “Sempre admirei a Ludmilla, desde que ela apareceu com o hit ‘Fala Mal De Mim’. A voz dela é linda, ela compõe muito bem e é uma artista completa. Nós tínhamos alguns amigos em comum e eu resolvi mandar pra ela a versão demo da música. Ela gostou de primeira, fiquei muito feliz!”

Foto: Breno Galtier

Já Ludmilla conta “Estou muito feliz e animada com essa parceria. Estar ao lado do Silva, que é um artista que eu admiro e gosto muito, foi incrível. A música traz uma vibe gostosa e leve para curtir com toda a galera. Espero que o público goste e cante junto conosco”.

O single foi composto pelo próprio Silva junto ao irmão Lucas Silva com produção de Nave. Ouvimos o som do cavaquinho, tocado plpelo talentoso Pretinho da Serrinha.

Silva conta sobre a música “É conduzida pelo cavaquinho de Pretinho da Serrinha, que eu considero um mestre no que faz. A música também contou com as batidas maldosas do Nave e os sopros dançantes de Bruno Santos. É uma linha melódica muito boa de cantar”.

Vai Ver/ Furta-Cor

O Scalene acaba de lançar duas músicas novas. E para elas um único clipe. Isso mesmo, “Vai Ver” e “Furta-Cor”, juntas contam uma história.

O clipe unificado conta a história de um casal interpretado por Julia Takanashi e Jean Petra, e como cada um lida com sua individualidade e com questões como o luto, a perda e a desistência. As gravações aconteceram em Belém do Pará com direção de Cupa.

“Vai Ver” conta com a participação especial de Hamilton de Holanda e “Furta-Cor” com participação de Xenia França. Ambas canções foram produzidas por Diego Marx.

“Vai Ver” podemos definir com um devaneio utópico e existencialista. Segundo o vocalista Gustavo Bertoni, “Se nada importa e nada é, que a gente se conecte além disso aqui. Mesmo que seja por ilusões – e melhor ainda sabendo disso”.

Já “Furta-Cor” é totalmente confessional com letra forte que faz uma reflexão sobre ser quem você precisa ser ao invés de ser vice mesmo e o quanto isso pode ser ruim.

Os dois singles estão no mais novo álbum do Scalene, “Respira” lançado pelo selo Slap da Som Livre.

A banda brasiliense é composta por Gustavo Bertoni (voz), Tomás Bertoni (guitarra), Lucas Furtado (baixo) e Philipe “Makako” Nogueira (bateria). Eles estão em 2019 completando 10 anos de carreira.

Escute as novas canções e se emocione. Uma experiência única e que vai tocar seu coração.

Pra Gente Ser Feliz

Mais uma vez Plutão Já Foi Planeta lança música “Pra Gente Ser Feliz” e celebrar as coisas boas da vida.

O novo single ganhou um clipe para lá de animado gravado em um Karaokê no bairro da Liberdade em São Paulo com direção de Coagula. Na produção, os integrantes da banda cantam juntos e se divertem, trazendo a leveza de um amor sem pressa.

A música que traz elementos eletrônicos marca uma nova fase da banda. Segundo Sapulha Campos, “Essa é uma fase de transformação. Tivemos vivências muito intensas do segundo disco até aqui. A gente quis transformar isso em linguagem musical e poética. Tudo que somos, vivemos e nos transformamos será traduzido nessa nossa nova fase e a gente espera muito que todo mundo viva e curta isso com a gente”.

Sapulha completa “No disco passado, falamos muito sobre saudade e ausência. Agora o momento é relatar a alegria dos encontros. Chega de saudade! Nessa música nova celebramos as pequenas felicidades que existem no dia a dia. A alegria da simplicidade e de estar junto”.

No dia 13 de Julho em Natal, Plutão Já Foi Planeta fará o último show com a baixista Vitória De Santi, que está deixando o grupo para uma nova fase na carreira.

Me Gusta Entrevista : Nina Fernandes

Texto e entrevista por André Rossanez

Com apenas 19 anos, Nina Fernandes já é um dos grandes nomes da nova geração da música brasileira e lança o seu EP “Digitando” pela Slap / Som Livre.

Após conseguir a marca de 2 milhões de acessos no You Tube com clipe de “Cruel”, Nina lança o clipe do seu mais recente single “Arroz Com Feijão”, em parceria com Outro Eu. A direção do vídeo foi por André Godói.

O Portal Me Gusta teve a honra de conversar por telefone com Nina Fernandes. Ela me contou um pouco sobre sua carreira, seu mais recente EP e do seu novo hit. Você vai saber tudo que conversamos.

Portal Me Gusta: Como surgiu a música na sua vida?

Nina Fernandes: Eu sempre gostei muito de ouvir música desde pequenininha e a minha casa sempre foi muito musical. Meu avô colecionava disco de vinil e eu herdei essa coleção, hoje em dia é muito difícil ter disco de vinil, mas sou apaixonada. Acho que a música estava presente em todos os momentos do meu dia. Minha mãe gostava muito de cantar para mim e quando eu tinha uns 15 anos eu fiz muitos amigos no meio da música. Minha família era do rio, então eu ia bastante para lá e fiz um amigo da música que fazia “Malhação” lá no Rio e eu ia visitar muito ele. Ele me apresentou para esse meio artístico carioca e eu comecei a gostar mais de ouvir música brasileira e a me interessar mais nos jovens da cena musical do Brasil também. Foi mais nessa época que eu comecei a fazer as minhas músicas. Fiquei apaixonada e comecei a ver isso mais como algo profissional.

Me Gusta: Como se deu a escolha do repertório do EP “Digitando”?

Nina: Acho que foi meio que uma mistura de músicas que fiz nos últimos anos, depois que lancei o meu primeiro trabalho em 2017. No caso da “Arroz Com Feijão” que a gente tá trabalhando agora, por exemplo, acabei escolhendo no momento em que eu realmente a gravar o EP, mas eu tinha o sonho de gravar ela já fazia um bom tempo. Na mesma época que eu tinha uns 15 anos, conheci o Mike da banda Outro Eu, que me mostrou essa música ainda em uma fase embrionária, um pouco menos parecida com que ela é hoje e disse para mim que eu deveria gravar. Eu não tinha nenhum trabalho autoral então me apaixonei pela música e a primeira oportunidade que tivesse queria gravar, mas o tempo passou e a gente deixou ela de lado. Até que percebi que ela tinha tudo a ver com essa história que eu queria contar no “Digitando” e coloquei ela.

Me Gusta: Como foi a gravar o clipe do single “Arroz Com Feijão”?

Nina: Foi muito lindo. Não tenho muitos clipes, mas esse foi talvez o que tenha sido mais divertido de gravar. A gente gravou na madrugada, num parque de diversões com amigos, fãs e administradores de portais de São Paulo. Foi muito bom, porque juntou muita gente que eu gosto e foi ótimo trabalhar com a ‘Pródigo Filmes’ e com o André Godói, diretor maravilhoso, que amo. Foi uma experiência única, desde que eu gravei o primeiro clipe de “Cruel”. me apaixonei muito por esse cuidado com a produção de arte e com a fotografia usada para contar a história que eu conto com a música. Eu já imaginava como iria ficar e fico muito feliz com o resultado e feliz que não foi algo sofrido para ser feito, foi muito gostoso.

Capa do EP “Digitando”

Me Gusta: Seu processo de composição, como acontece?

Nina: Eu costuma escrever muito sobre coisas que aconteceram comigo, mas acho que ao longo desse meu processo de amadurecimento artístico fui aprendendo que também faz parte da trajetória do compositor, entender em algum momento que a gente precisa se sensibilizar também com a história de outras pessoas. Talvez essa tenha sido a evolução mais legal que observei entre o trabalho que fiz em 2017 e o “Digitando”, porque nessa época que percebi que a a gente não precisa necessariamente falar sobre assuntos que estão ligados a esse universo de relacionamento e que o amor está em muitas coisas da nossa vida. Acho que também falar sobre quem se admira e a passagem do tempo, enfim, são coisas que acabaram sendo legais e intuitivas de fazer e fico feliz. Então tem de tudo, um pouco da minha vida e o que observo o meu entorno.

Me Gusta: Uma música que chama muita atenção é “Alice”. Qual foi a inspiração para essa canção?

Nina: Eu gosto muito do resultado dessa música. Engraçado, porque eu não esperava que ela pudesse ter qualquer tipo de identificação com o perfil que o público da minha música tem, pois essa música é muito específica. Ela você fala sobre uma menina. A minha inspiração foi a atriz Alice Wegmann, que é uma atriz que eu amo e acompanho o trabalho já tem alguns anos. A primeira novela que assisti, quando era pequena, se chamava “A Vida Da Gente” e ela fazia uma tenista e aquela menina me encantou porque era muito espontânea. Depois teve uma série da Globo, “Onde Nascem Os Fortes” e Alice fazia uma menina que chamava Maria e que me emocionou muito. Eu nem assistia a série, mas liguei a TV um dia e vi uma cena dela que me emocionou muito, me deixou mexida e comecei a ver a série. Me apaixonei pela personagem e já era apaixonada pela Alice e decidi escrever uma música em homenagem a ela, e trazendo alguns elementos do Nordeste, afinal essa série se passava lá. E foi especial explorar esse universo. Tem uma coisa do ritmo, da música visceral nordestina, mas eu quis puxar um pouco mais para o Folk e com elementos eletrônicos, trazendo mais para o meu universo.

Me Gusta: Como é sua relação com seus fãs?

Nina: Eu tenho uma relação muito próxima. Acho que as redes sociais têm esse lado bom, de aproximar a gente e é muito imediato, muito fácil mesmo. É para isso que faço o que faço, para falar com quem quiser me ouvir. É uma relação muito boa.

Me Gusta: Do do que você puder adiantar, o que podemos esperar do que vem por aí?

Nina: Eu quero até o final do ano lançar um EP novo. Não sei se no final do ano, ou no início do ano que vem pretendo lançar um disco, mas ainda tô entendendo o jeito como as pessoas estão consumindo música. Percebi que é bastante diferente que no passado, em que a gente fazia o CD grande. Então penso mais em de repente, trabalhar com singles e talvez um EP um pouco maior. Mas por enquanto estou super focada mais no show. É um sonho realizado fazer o que eu estou fazendo agora. Estou muito feliz e acho que até o fim do ano acaba esse processo de divulgação do “Digitando”.

Super talentosa e com uma voz doce e gostosa de ouvir, Nina Fernandes vem conquistando cada vez mais o seu espaço na música nacional.

É uma artista que ama muito o que faz, algo que apenas com sua maneira de falar consegui perceber nitidamente ao telefone. E o amor pela música, combinado com sua simpatia e suas belas composições, a torna uma das melhores cantoras da cena atual.

Brisa

Mostrando os encantos da Bahia, Silva mostra a “Brisa” marítima para te conquistar de vez.

O clipe com direção de Magu, foi totalmente gravado em Salvador. Silva canta enquanto anda por pontos turísticos da cidade. Ele olha para câmera como que se tentasse nos seduzir. E não é, que ele consegue?

O artista que compôs a música com seu irmão Lucas Silva conta “Eu tenho muito carinho por essa música e pela energia dela. Ela fala sobre a Bahia, um lugar que sempre gostei de ir, que tem um litoral que me emociona sempre. E o clipe foi gravado em Salvador porque é uma cidade que musicalmente tem uma história riquíssima e que me influencia bastante. Acho a música baiana super importante para o Brasil e para o mundo”.

Fotos: Breno Galtier

Silva também aproveita para fazer uma homenagem, “A a maioria dos meus cantores prediletos estão na Bahia e eu quis fazer essa homenagem, de quem não é baiano, mas admira muito a Bahia. Eles têm essa energia de leveza, do Sol. Essa energia dançante, de tanto ritmo”.

Com certeza é uma das músicas mais gostosas de ouvir do Silva, que sempre traz emoção em suas composições e seus vídeos.

Esse single não está no seu disco “Brasileiro”, porém conversa e muito com o álbum.

Duas Da Tarde

Dando vida a um casal junto ao ator Ícaro Silva, o cantor Silva lança o apaixonante “Duas Da Tarde”.

O novo single todo meigo e calminho, ganhou um clipe gravado no Arraial do Cabo (Rio de Janeiro) com direção da talentosa Vitória Mello de Franco. Um amor à beira-mar é retratado de forma sensível e honesta.

O cantor justifica a escolha do single “Vieram me aconselhar a não lançar agora, por ser um momento de pesar, luta e resignação pra gente que acredita e sonha com justiça social igualdade de direitos. Mas a leveza também faz parte da luta, Espero poder contribuir para renovar e fortalecer os ânimos de quem já está cansado e abatido”.

Bem otimista Silva completa “Meu desejo é que, através da arte, nós possamos ocupar a vida das pessoas, e as ruas das cidades com a beleza, a alegria e a esperança que precisamos para prosseguir resistindo – e apontando o caminho certo: onde a violência não poderá ser de forma alguma o destino final da jornada de ninguém. É preciso estar atento e forte!”

Realmente em tempos de discórdia e intolerância, precisamos respirar a arte e o amor para que possamos com leveza melhorar o mundo. E que mensagens como esta de Silva possam perpetuar pelo mundo todo.

Clareia

Já imaginou ver duas grandes bandas como Francisco ElHombre e Scalene juntas? Pois não precisa mais ficar na imaginação, já é um fato concreto.

“Clareia” fala da dificuldade de entender o mundo confuso em que vivemos e ganhou um clipe incrível com direção de Stéfano Loscalzo.

Foto: Beatriz Péron

Na produção vemos uma partida divertida de futebol de sabão feita para resolver desavenças entre amigos queridos. Participam o cantor Sandro (como juiz) e os integrantes das bandas Plutão Já Foi Planeta e Gor From Alaska.

Tomás da scalene resume a vibe da nova música “Clareia coloca música como ponto de conexão e Um dos fatores capazes de acalentar a alma diante dos tempos nebulosos. E lançar uma faixa exaltando a alegria de se fazer e viver de música, em momentos como este, a torna ainda mais importante e emocionante”.

O roteiro do vídeo foi escrito por Lucas (Scalene) e Mateo (Francisco El Hombre) que revela “Quando colocamos adultos em situações de crianças, parece que todo mundo volta a ser criança. Como aconteceu nesse jogo de futebol de sabão”. Ele ainda completa “Tem um monte de gente se atacando, dividida em dois lados. A música pode unir a gente”.

Uma das parcerias mais bacanas do rock nacional mais conquistar você em cheio. Um som que fusiona as almas das duas bandas, resultado em uma sonoridade única e marcante.

Mil Noites De Um Amor Sem Fim

Silva sai de sua zona de conforto e se joga numa Bossa Nova Orquestrada com “Mil Noites De Um Amor Sem Fim”. E se você é mais sensível, separe os lencinhos para as lágrimas.

Foto: Breno Galtier

O clipe mostra Silva acompanhado de uma linda orquestra e do maestro Eduardo Souto Neto. Além de imagens dos bastidores da gravação da canção.

A nova música foi feita sob encomenda para novela da Globo espelhos da vida e foi composta pelo cantor junto ao renomado Ronaldo Bastos.

Fotos: Breno Galtier

Sobre o single Silva conta “Tive o prazer enorme de compor essa música com e a convite de Ronaldo Bastos, meu grande amigo que fez algumas das canções mais lindas desse país. E também a grande alegria de ter o arranjo da orquestra feita pelo Maestro Eduardo Souto Neto, de quem sou fã. É muito incrível estar rodeado de tanto amor e música”.

Um dos maiores talentos atuais deste país, Silva mais uma vez mostra sua versatilidade e capacidade de tocar o nosso coração. E agora com uma de suas músicas mais lindas.

Fica Tudo Bem

E neste dia dos namorados o single “Fica Tudo Bem” do cantor Silva com participação de Anitta ganhou um clipe todo cuti cuti, todo fofo. E você vai amar.

Todo colorido, o vídeo foi dirigido por Breno Pineschi e Rafael Cazes e gravado no Rio de Janeiro em um estúdio. Os dois artistas dão leveza e descontração para contar a história da música junto a elementos cênicos.

Sobre a parceria com a cantora, Silva revela “Quando o álbum estava pronto, percebemos que faltava uma participação nele. Fiz uma lista de pessoas que gostaria de ter comigo nessa e o nome da Anitta era o primeiro. Não nos conhecíamos, mas mandei a música pra ela e, pra minha surpresa, ela respondeu super rápido e empolgada pra firmarmos a parceria e gravar o clipe. Ela foi muito generosa. Anitta é um furacão, admiro muito o jeito dela conduzir a carreira e atingir seus objetivos. Num álbum que se chama ‘Brasileiro’, é uma honra ter nele uma das maiores artistas desse país”.

Sobre o convite a Anitta declara “Quando eu gosto da música, não fico pensando muito no amanhã, não. Se eu gostei da música eu gravo, eu faço. Daí eu amei e mandei mensagem para ele falando: olha eu amei a música!”

E sobre a construção do clipe um dos diretores, Breno, relata “Através de expressões visuais e de uma linguagem visual muito proprietária nossa da Harcuore, retratamos os dois músicos tentando salvar algo trágico, que é o amor, de uma forma muito plástica, contemporânea e bem-humorada”.

O diretor complementa, “A parceria deles está retratada como se eles fossem um casal, onde cada um olha para um lado e estão dando conselhos para eles próprios. Ao final do filme, eles finalmente se reencontram no seu amor e o tempo para. Isso é uma referência ao grande escritor português José Saramago, que tinha vários relógios parados em casa marcando a hora em conheceu sua mulher”.

A parceria entre Silva e Anitta já é um fenômeno de popularidade. Em menos de um mês, foram mais de 1,4 milhões de streams no Spotify e ainda por cima ficou entre as 50 mais virais do mundo todo também no Spotify.

Mais um tiro certeiro de Silva que mais uma vez, prova que chegou no cenário musical brasileiro para ficar e fazer a diferença. Um músico completo e cativante.

A Cor É Rosa

A espera acabou e o cantor Silva acaba de lançar “A Cor É Rosa”, o primeiro single de seu novo projeto discográfico.

O lindo clipe gravado no Espírito Santo, em locais que fizeram parte da visa do cantor, tem a direção de André Paste e mostra toda a brasilidade do cantor em belas paisagens que enchem nossos olhos de cor e emoção.

A nova canção é cheia de beats sintéticos com uma levada bem axé, lembrando o som de Caetano Veloso (inclusive a vó de Silva) em sua fase bem tropicália.

O novo disco, “Brasileiro”, será lançado pela Slap com 14 músicas e participação especial de Anitta no dia 25 de maio.

Sobre o novo trabalho Silva conta “Acho que o disco reflete a forma como eu me enxergo no mundo, e também a maneira como hoje me enxergo brasileiro, profundamente ancorado na esperança do que surgirá de bom de todo esse caos em que vivemos”.

O disco promete repetir o sucesso de “Júpiter” e “Silva Canta Marisa”, expandindo ainda mais o público de Silva e conquistando ainda mais os seus já fãs cativos.

Mais Bonito Não Há

Estou todo encantado com o vídeo de ‘Mais Bonito Não Há’ de Tiago Iorc e Milton Nascimento e tenho certeza que isso acontecerá com você também. A tão esperada faixa é linda e seu clipe é o máximo. Muito poético e com cenas mais que lindas.

A sensível produção foi dirigida pelo próprio Iorc que também fez o roteiro junto a Rafel Andrade (diretor de fotografia) e gravada no Rio Grande do Sul na Pousada Ecológica dos Cannyons. Nela duas crianças muito fofas vividas por Janu Ferreira Gonçalves e Juliano Araújo da Costa, representam Milton e Tiago como crianças que se unem, estabelecendo uma linda amizade.

Vemos um clipe que relembra a criança interior de cada um de nós e celebra a diversidade humana. Uma metáfora para mostrar que não devemos ter amarras e nem preconceitos para sermos livres e sem pré julgamentos, além de mostrar a amizade, a solidariedade e que juntos podemos mais.

capasingle

Muito bonito e agradável ouvir a junção das vozes de Milton Nascimento e Tiago Iorc. Vemos também a química que eles tem um com o outro ao ver as cenas finais do clipe,. Sem dúvidas esta música fará muito sucesso, assim como as apresentações que eles farão junto a partir de Novembro. Foi um verdadeiro presente este dueto.