Deixando de ser uma dupla,VENVS ganha novos integrantes e se transforma em banda e abrindo a nova fase lançam “Me Reencontrar”.

O agora, quarteto, se reencontrou no Emo Tock e no Pop e o primeiro singre festa fase ganhou um clipe muito bacana onde as cantoras Evie Dee e Elektra, são perseguidas e substituídas por novas cantoras, vividas por elas mesmas. A direção é de Rod Cauhi.

Foto: Lana Pinho

“O nome do single é muito auto explicativo. Está sendo realmente um momento de nos reencontrarmos, tanto musicalmente, como pessoalmente”, contam Evie e Elektra. “É a música que dá início a uma nova era completamente diferente de tudo o que já fizemos como duo, mas muito mais fiel ao que somos como artistas”, conta o grupo em conjunto.

A faixa, que estará em um novo EP, é uma composição de Elektra e Evie com colaboração de Marcus Maia, que também assina a produção da faixa. “A composição começou com uma base instrumental que o Marcus, nosso produtor, nos mandou e logo que ouvimos, algo foi despertado dentro de nós. A partir disso, a Elektra começou a compor por cima e foi como um grito de desabafo! A letra fala muito sobre o processo dela de se reencontrar nesse estilo musical depois de mais de seis anos do fim do Fake Number (banda em que ela era vocalista)”, conta VENVS.

Foto: Lana Pinho

Além de Evie Dee e Elektra, casal que lidera os vocais, Jota C (Bateria) e Luk (Guitarra) chegam para compor o time, agora como banda. VENVS, que antes passeava pelo universo do MPB, agora traz gêneros como rock emo/ pop e até punk. “Me Reencontrar”, além de ser o primeiro single como grupo, também traz como significado esse reencontro musical com os novos gêneros. 

Antes de formar o duo VENVS, Elektra já havia integrado a banda de pop/rock punk Fake Number, que fez grande sucesso na metade dos anos 2000 e a tornou conhecida entre o público jovem. Hoje, anos depois do término da banda, Elektra volta para um estilo musical mais similar ao daquela época nessa nova era de VENVS. Sobre isso, ela comenta: “Essa volta às origens traz um sentimento agridoce. Ao mesmo tempo que me deixa empolgada, me dá muito medo. Esse estilo musical mudou minha vida naquela época, não só pela música, mas por todo o movimento que foi construído em volta e principalmente por ter sido uma das primeiras mulheres no vocal de uma banda emo no Brasil. Eu estou muito feliz de ver tudo voltando aos poucos e por estar fazendo parte dele agora também, parece que não tenho como fugir, sabe? (Risos). E quanto ao medo é aquele de não agradar ou de rolar muita comparação com o que era o Fake Number, mas eu estou feliz demais com o resultado e não vejo a hora de bater cabeça nos palcos por aí. Talvez precise de quiroprata depois, estou enferrujada!”, finaliza a artista.

Já sobre o vídeo da canção, Evie e Elektra contam “Os clipes são sempre onde colocamos todas as nossas ideias loucas e nesse não foi diferente. Estamos vendo essa nova era como um verdadeiro renascimento e para que um renascimento aconteça, é preciso que o antigo morra. Até a nossa relação mudou: agora estamos ainda mais próximas, noivamos há poucos meses e isso só fortaleceu ainda mais a nossa parceria de vida e até mesmo a musical. A história se dá com a nova VENVS decidindo tomar as rédeas de uma vez por todas e matando a antiga para dar espaço a tudo que está por vir”.