Destaque do Samba, Ana Clara começa o mês de Outubro com o lançamento da primeira parte do projeto “Batucada da Ana Clara”.

Gravado em São Paulo, o primeiro EP traz quatro canções e a participação do grupo Turma do Pagode na faixa “Pause”. E pra Falar desse lançamento, o Portal Me Gusta teve o privilégio de entrevistar a cantora.

Capa do EP “Batucada Da Ana Clara – Vol. 1”

Ana Clara contou um pouco mais sobre esse DVD que traz as cores do verão e uma deliciosa roda de samba a céu-aberto. Saiba tudo o que ela nos contou a seguir:

Portal Me Gusta: Como foi escolher o repertório do projeto “Batucada da Ana Clara”?

Ana Clara: A gente pegou tanta, tanta música pra escolher. A gente captou muita música para fazer uma seleção. A gente recebeu muita música e ouviu mais ou menos umas 300. Esse trabalho foi diferente em como a gente fez a seleção, porque foi um trabalho mais focado em músicas inéditas. A gente até regravou umas músicas, mas foi um trabalho mais focado nas inéditas. Eu queria escolher músicas que tivessem mais a ver com a minha personalidade e que tivessem mais a ver com histórias legais e que tivessem a ver comigo. Foi mais ou menos assim que a gente fez a escolha de músicas do DVD. A gente regravou algumas, mas regravação é um pouco mais complicado, porque na hora que a gente vai subir nas plataformas fica um pouco difícil, porque muita gente não autoriza e aconteceu isso nesse trabalho. Nesse trabalho, especificamente, eu quis mostrar mais a minha personalidade. Eu curti mais fazer essa pré-seleção junto do meu produtor musical, porque eu queria falar mais sobre mim, sobre as coisas que eu gosto de falar e músicas que gosto e são referências do que curto ouvir. Foi um trabalho mais voltado pras coisas que a Ana Clara curte e foi um pouquinho mais delicado e demorado para fazer a escolha do repertório.

Me Gusta: Nessa primeira parte do projeto, tem a participação da Turma do Pagode na faixa “Pause”. Como surgiu essa música e a parceria com eles?

Ana Clara: O Turma são meus amigos de longa data. Tenho a amizade deles há anos e já participei de muitas coisas com eles e eles já participaram de projetos meus no YouTube. Então, já tenho uma amizade uma parceria com eles há bastante tempo. A música “Pause” é uma música inédita de dois parceiros, que são o Alexandre e o Tiago Soares e é uma dessas músicas chicletes, que tem tudo a ver com o lance do “Batucada” e com o Turma. Tem todo esse lance de batucada e tem Tudo a ver com o DVD, com a história do título do DVD e com o Turma que tem esse lance de batucada. A música fala de um relacionamento e é muito legal. Não vou dar spoiler, porque logo já é o lançamento e quero que as pessoas vejam o clipe do DVD e ouçam a música, que é sensacional. Até postei um pedacinho bem rápido no meu Instagram e estou dando spoilers bem pequenos, porque quero que as pessoas vejam. Acho que o nome do Turma do Pagode não poderia faltar no projeto da batucada, porque quem conhece o turma, sabe que eles são todos percussionistas e são batuqueiros.

Me Gusta: Você agora lança a primeira parte do DVD. Como foi escolher o que estaria nessa parte e o que viria depois?

Ana Clara: A gente foi muito na estratégia do que seria mais apropriado e o que tivesse mais a ver com o Verão. A gente foi colocando coisas mais românticas por agora e foi fazendo esse a escolha dos volumes. Nós escolhemos pra primeira parte as mais românticas, pra depois deixar tudo que fosse mais animado, realmente mais pro verão e pro fim do ano.

Ana Clara com Turma do Pagode – Foto: W. Henrique

Me Gusta: Como foi gravar esse novo projeto durante esse momento de pandemia?

Ana Clara: Foi difícil, porque já era pra gente ter gravado esse DVD em Março do ano passado, antes da pandemia e ficamos nessa de grava, não grava, por um ano e meio. Estávamos até um pouco desacreditados sobre a gravação. Principalmente pra gente que trabalha com eventos, foi muito difícil. Estar ali gravando em Julho foi tipo “a gente tá aqui, a gente venceu e tá todo mundo aqui com saúde”. A gente não tava acreditando que aquele momento estava acontecendo. Foi uma gravação em uma situação bem diferente, de gravar sem público. Ainda mais um DVD de Pagode que exije aquele negócio de calor humano, da proximidade das pessoas e principalmente numa roda de Samba, que é uma coisa onde todo mundo tá perto, tá pegando em ti, o suor tá pingando ali e tem aquele calor humano. É meio complicado e nada daquilo aconteceu. Foi uma situação bem diferente, mas só da gente estar fazendo aquilo, foi uma vitória. Acho que a partir do momento que as pessoas assistirem esse trabalho, onde a gente colocou a maior energia possível, as pessoas poderão sentir isso, por mais que não estivesse ninguém ali. As pessoas vão perceber que aquilo foi um encontro, ou melhor, um reencontro de pessoas e essa energia vai conseguir transcender. As pessoas não estavam lá, mas vão ver do celular ou da TV e vão sentir o clima que estava acontecendo no batucada. Foi difícil. E a gente tá louco pra que as coisas se estabilizem daqui pra frente e que a gente consiga levar essa batucada pra estrada.

Me Gusta: Você é também compositora. Como Se o seu processo de composição?

Ana Clara: Compor é uma coisa muito de prática, sabe? Pelo menos no meu ponto de vista. Acho que quanto mais tu escreve, mais tu desenvolve aquilo. É Uma coisa de exercício mesmo. A gente tem uns grupos de composição entre amigos. Por exemplo, eu o meu violonista, que trabalha comigo e é meu produtor musical, a gente sempre joga uma palavra ou um tema que a gente quer compor e desses temas, a gente fantasia várias coisas e escreve. Mas também tem momentos. Nessa pandemia, por exemplo, tem gente que escreveu muito, mas eu agora nessa reta final que as coisas começaram a andar, comecei a trabalhar muito e não escrevi nada. Também é muito de momento. Sou muito assim de praticar e fazer o exercício de escrever.

Foto: W. Henrique

Me Gusta: Dentro do que puder adiantar, quais os próximos passos?

Ana Clara: Acho que nesse momento, o foco total é na divulgação do DVD. Vai ter bastante trabalho daqui pra frente, até por conta desses lançamentos de um volume por mês. Então, vai ser a divulgação mesmo. E a gente tá muito, muito, muito esperançoso de que as coisas possam se estabilizarem e que a gente possa voltar a fazer shows. Poder mesmo, realmente pegar nossas coisas, nossas malinhas e por o pé na estrada.